AHP apoia solução Montijo para aumento da capacidade de tráfego aéreo

AHP apoia solução Montijo para aumento da capacidade de tráfego aéreo

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal apela à necessidade de agilizar processos sobre a extensão do Aeroporto de Lisboa e continua a defender a opção “Portela +1”. No dia em que é assinado o acordo entre o Governo e a ANA, e tendo em conta as últimas notícias que referem que a decisão sobre o Montijo, ainda que já tomada, está condicionada a dados sobre avaliação de impactos, designadamente sobre a migração dos pássaros, o que remete para o final do ano, a AHP reforça o sentido de urgência e apela à necessidade de não haver mais retrocessos e demoras neste projeto.

“Todos os stakeholders têm que ter presente que a construção de uma alternativa ao aeroporto Humberto Delgado é urgente dado o ritmo de crescimento do Turismo na região de Lisboa. Ainda na semana passada foi divulgado que a região mais do que duplicou o número de hóspedes, com um total de 7,3 milhões em 2015, e não podemos também esquecer que em 2016 o Aeroporto de Lisboa ultrapassou os 22 milhões de passageiros, números além do limite já estabelecido. A atual capacidade da infraestrutura aeroportuária está praticamente esgotada e por isso não devemos admitir mais atrasos”, considera Raul Martins, presidente da AHP. E acrescenta que “não podemos desconsiderar a importância fundamental que o Turismo tem na economia nacional, o seu peso no PIB e nas exportações, o volume de empresas e de trabalhadores que significa. No estudo que a ATL divulgou regista-se ainda que do total de emprego criado ou mantido em 2015 na região de Lisboa, 56% foi na hotelaria e restauração.”

Há mais de 10 anos que a AHP tem vindo a defender a solução do Montijo como a mais indicada para ultrapassar o problema da “sobrelotação” do atual Aeroporto de Lisboa, indica na mesma nota. “Apesar de estarmos no bom caminho, não podemos de deixar estar preocupados com o tempo que decorre entre a tomada de decisão, a execução e a operacionalização da extensão do Aeroporto”, conclui Raul Martins.