AHRESP aplaude decisão de dispensar empreendimentos turísticos de contratar nadadores-salvadores

AHRESP aplaude decisão de dispensar empreendimentos turísticos de contratar nadadores-salvadores

Categoria Advisor, Associativismo

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) considera muito positiva a recente alteração operada pela Portaria nº 168/2016, que prevê o fim da obrigatoriedade de contratar nadadores-salvadores para piscinas de empreendimentos turísticos que sejam exclusivamente utilizadas pelos seus hóspedes, desde que seja assegurada vigilância e disponibilizado material e equipamento de informação e salvamento adequados.

“Na prática, esta obrigação representava um custo de contexto relevante e desproporcional», afirma Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP. «Esta alteração acabou por corrigir e clarificar uma redação que, quanto a nós, contrariava o espírito da própria lei e constituía um injustificado custo de contexto”.

Não obstante a alteração agora verificada, a AHRESP alerta para o facto de se manterem os constrangimentos relativamente ao regime de nadadores-salvadores nas praias portuguesas. “Este é um regime demasiado exigente, custeado unicamente pelos Concessionários de Praia, e que compromete a sustentabilidade deste tipo de negócio, tão importante para o nosso Turismo”, esclarece Ana Jacinto.