As Escolhas de… Filipe Morato Gomes

As Escolhas de… Filipe Morato Gomes

As viagens marcam toda a vida de Filipe Morato Gomes, autor do “Alma de Viajante“, que viaja para partilhar o que conhece e inspirar os outros a fazer as malas – um ciclo sem fim anunciado. O blogue chegou em 2001 e a primeira volta ao mundo três anos depois. Desde aí, já lá vão duas.

Recentemente, foi distinguido pelo público como o “Melhor Blogue de Viagens” nos BTL – Blogger Travel Awards 2017, “Blog Mais Popular” na FITUR 2018 e “Melhor Blogue de Viagens”, nos Open World Awards 2017, pela momondo. Estas são As Escolhas do blogger para a Ambitur…

Areias do Seixo, em A-Dos-Cunhados, Torres Vedras.

Melhor Hotel Português… “Areias do Seixo, em A-Dos-Cunhados, Torres Vedras. Tenho tido um contato muito estreito com muitos dos melhores hotéis do país a propósito do projeto ‘Hotelandia‘. Tenho tendência a valorizar lugares mais pequenos e acolhedores, sustentáveis e despretensiosos, mas com pormenores de bom gosto, em detrimento do luxo puro e duro.”

Melhor Hotel no Estrangeiro… “Minshuku Takizawa, em Gifu, Japão. Foi uma das experiências hoteleiras mais marcantes que tive oportunidade de vivenciar. É um ryokan localizado a meio caminho entre Takayama e Matsumoto, em plenos Alpes Japoneses. É um lugar simultaneamente simples e luxuoso. Além do acolhimento familiar e dos tradicionais banhos termais japoneses, recordo as refeições ao melhor estilo kaiseki que degustei no hotel. Fabuloso!”

Cevicheria, em Lisboa.

Melhor Restaurante em Portugal… “Cevicheria, em Lisboa, do chef Kiko Martins. Se fosse mais perto de onde vivo, iria lá jantar muitas vezes.”

Melhor Restaurante no Estrangeiro… “Fuwari, em Kanazawa, no Japão. Jamais me esquecerei deste izakaya [pub japonês] onde degustei uma das refeições mais marcantes de todas as minhas viagens.”

Um filme memorável… “«Paris, Texas», de Wim Wenders. Vi o filme dezenas de vezes, no tempo em que os meus pais gravavam os vídeos em cassetes VHS, e tenho para mim que este filme tem a melhor banda sonora da história do cinema – é do Ry Cooder.”

Livro a não perder… “«Três Bichos Te Esperam, Quatro te Comerão”, de Manuel Andrade. Não me recordo de ler um livro tão intenso como este nos últimos tempos.”

Uma música que o tenha marcado… “Os sons hipnóticos de Maziyar Ale Davoud, um iraniano que vive no oásis de Garmeh, em pleno Deserto Central do Irão. É um artista autodidata que faz música com potes de cerâmica que ele próprio construiu. A sua música é uma grande viagem.”

Artista/compositor preferido… “Bahramji, um artista ainda pouco conhecido, originário de um dos meus destinos de viagem preferidos, o Irão.”

Um vinho… “Qualquer bom tinto do Douro.”

Praia da sua eleição… “Adoro toda a Costa Vicentina. Sou fã, por exemplo, da praia da Carriagem, sobre a qual já escrevi ser a praia mais bonita do país. Vale o que vale.”

A melhor cidade do mundo… “Tóquio é, muito provavelmente, a cidade mais fascinante que conheço.”

A última viagem que fez… “Sri Lanka. Tinha estado lá no tsunami de dezembro de 2004, em reportagem para o jornal “Público”, e nunca mais tinha lá voltado. Tinha grandes expectativas no destino. Foi muito bom ver o país com outros olhos e poder partilhar as experiências de viagem, agora pela positiva, no «Alma de Viajante»”.

A próxima viagem que fará… “Vou explorar a Argélia, um destino (ainda) pouco conhecido, mas sobre o qual tenho lido coisas fascinantes.”

O que nunca se esquece de levar consigo quando viaja… “Além das minhas havaianas, a máquina fotográfica e computador portátil – o preço a pagar por ser blogger de viagens.”

Este artigo foi publicado na edição 308 da Ambitur.

Rita Rebelo