CEAV e APAVT selam aliança ibérica para o desenvolvimento do turismo

CEAV e APAVT selam aliança ibérica para o desenvolvimento do turismo

A Confederación Española de Agencias de Viajes (CEAV) e a Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) uniram forças para criar uma aliança ibérica e assim impulsionar, entre outros aspetos, o turismo entre ambos os países. A partir de agora, a APAVT e a CEAV examinarão de forma conjunta todos os temas de interesse para o setor, como podem ser os casos das relações com fornecedores ou as normativas europeias, com o objetivo de alcançar uma posição conjunta.

Durante uma reunião recentemente celebrada em Lisboa, liderada pelo presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, e pelo presidente da CEAV, Rafael Gallego Nadal, ambas as organizações comprometeram-se a encorajar a promoção turística entre Portugal e Espanha nos seus respetivos mercados, promovendo dessa forma o desenvolvimento do negócio das agências de viagens e da economía de ambos os países.

Neste sentido, entre outras ações, comprometeram-se na organização de uma Cimeira Ibérica que, de forma periódica, reúna os agentes de ambos países.

“Estou feliz, pois foi dado mais um passo importante na consolidação da presença europeia da APAVT, como se sabe um dos objetivos do presente mandato. Portugal e Espanha formam um espaço económico de características próprias , que urge dinamizar. Estamos certos de que, com este passo, caminhámos na direção certa”, afirma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira.

Por seu lado, para Rafael Gallego Nadal, presidente da CEAV, “este acordo é fundamental e segue a linha dos que já assinámos com as associações irmãs de países da América Latina, como a Argentina e Colômbia”. “As possibilidades de colaboração com um país tão perto e a importância de encontrar pontos em comum e somar forças nos maiores pontos de interesse para o setor como as relações com os fornecedores, especialmente com a IATA, que teve um lugar destacado nesta primeira reunião, ou sobre a legislação comunitária”.