Cultura chumbou projeto da Douro Azul em Gaia

Cultura chumbou projeto da Douro Azul em Gaia

Categoria Business, Empresas

O empresário Mário Ferreira viu a primeira versão do seu projeto de arquitectura para um hotel na escarpa do Douro, em Gaia, ser chumbado pela Direcção Regional de Cultura do Norte. Segundo o Público, o dono da Douro Azul, que chegou a admitir que pretendia avançar este verão com as obras de transformação da antiga Cerâmica do Sr. do Além num hotel, teme agora não conseguir aproveitar o financiamento do Portugal 2020 que implicaria a entrega da candidatura até ao final de setembro, pois tal implicaria que o projecto de arquitectura fosse entretanto aprovado pela Câmara.

“O problema é que não podemos entregar a candidatura até termos a arquitectura aprovada pela Câmara, o que depende deste parecer. Nós tínhamos a arquitectura toda pronta”, afirma Mário Ferreira. Agora, admite, “é muito difícil chegar a tempo dessa candidatura. E depois, se congelarem os fundos, esse hotel vai ficar parado até se abrir uma nova janela. Fica a perder a cidade, aquela margem, e até pode-se perder a oportunidade de negócio”.

O Município, que vê com grande interesse esta intenção de investimento de Mário Ferreira, já se reuniu nas últimas semanas com a Direcção de Cultura do Norte para tentar desbloquear o processo. Contactado pelo Público, o director regional de Cultura, António Ponte, não quis fazer comentários sobre a qualidade do projeto, e apenas disse que as reuniões visam encontrar uma solução “que tenha em conta não apenas o impacto da obra na escarpa e no monumento próximo, mas em todo o contexto das ribeiras do Porto e de Gaia”, de onde o hotel – com 85 quartos e onze apartamentos – vai ser visível.

Mário Ferreira discorda dos argumentos invocados. “O volume que vai ser aprovado não vai ser tão diferente do que foi apresentado. Não concordamos, mas vamos apresentar um segundo projecto rapidamente para não perdermos mais tempo e porque queremos andar em frente com a obra”, explica. O empresário revela que pretendia candidatar aquele hotel já fundos para a área do turismo do Portugal 2020, mas teme perder a primeira janela de oportunidade, que termina no final de Setembro, nota.