Em 2016, as unidades hoteleiras ultrapassaram os números de 2007

Em 2016, as unidades hoteleiras ultrapassaram os números de 2007

No ano de 2016, as unidades hoteleiras em Portugal  ultrapassara os dados referentes ao ano de 2007, que tinha sido até hoje, o melhor ano de sempre do turismo nacional.

Os dados da plataforma Hotel Monitor, foram divulgados hoje pela AHP, durante a BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa e referem que a Taxa de Ocupação média atingiu os 68% a nível nacional, ultrapassando pela primeira vez o ano de 2007 que tinha registado 67%.

Neste indicador, a Madeira lidera a lista, com uma taxa de ocupação de 82%, seguida de Lisboa, com 77%, o Grande Porto, com 73% e, por fim, o Algarve, com 65% na taxa de ocupação anual.

Relativamente ao preço médio por quarto ocupado, o ano de 2016 apresentou um saldo positivo, alcançando os 80,2 euros a nível nacional, o que se traduziu num aumento de 7,6% em relação a 2015. Lisboa e Algarve ocupam o topo da lista, com o preço médio a fixar-se nos 93 euros. Seguiu-se Estoril e Sintra, com um preço médio de 85 euros e o Grande Porto, com 73 euros.

Por outro lado, em relação ao RevPar, registaram-se aumentos a dois dígitos em todos os destinos portugueses, fixando-se uma média anual nos 55 euros, mais 13% do que em 2015. Em termos de variação, as melhores performances assinalaram-se no Alentejo e Grande Porto, ambos com 17% do crescimento.

Finalmente, quanto ao peso das dormidas por nacionalidade, tanto o Reino Unido como a Alemanha registaram um peso de 15% no total de dormidas. A França ocupou o terceiro lugar, com um total de 6% das dormidas, ultrapassando pela primeira vez a Espanha, que ficou ligeiramente abaixo dos 6%. O peso das dormidas de nacionais nos hotéis portugueses desceu de 30% em 2015 para 27% em 2016.