Eventos tiveram forte impacto na hotelaria em novembro de 2016

Eventos tiveram forte impacto na hotelaria em novembro de 2016

De acordo com o AHP Tourism Monitor, programa de recolha de dados dos hotéis, realizado mensalmente pela Associação da Hotelaria de Portugal, o mês de novembro registou uma ótima performance e manteve o ritmo de crescimento a dois dígitos em alguns dos principais indicadores. A taxa de ocupação quarto em Portugal atingiu os 58% em novembro, representando uma subida de 6,5 p.p. em comparação com novembro de 2015. Apesar dos aumentos em todas as categorias, as unidades de três estrelas destacaram-se neste indicador com uma variação de mais 8 p.p. face ao mesmo mês de 2015.

Os destinos turísticos nacionais com a taxa de ocupação quarto mais elevada foram a Madeira com cerca de 78%, Lisboa que ultrapassou os 71% e Grande Porto aproximando-se dos 65%.

A manutenção de uma taxa de ocupação acima dos 50% permitiu, de igual forma, subidas tanto no preço médio por quarto ocupado e no RevPAR, com aumentos de 12,7% e 26,9% respetivamente.

Em termos de RevPAR mantêm-se em destaque os destinos turísticos de Lisboa com mais de 67€, seguida da Madeira e do Grande Porto.

A receita média por turista no hotel também registou um aumento de mais 12,2% e foi acompanhada por um crescimento de 4,4% na estadia média, que se fixou em 1,91 dias.

A receita total por quarto disponível apresentou um dos principais aumentos face ao período homólogo do ano anterior em Portugal com mais 23,7%, fixando-se nos 59€.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, refere que “são de destacar, no mês de novembro, tradicionalmente um mês de fraco desempenho da hotelaria, eventos que tiveram um forte impacto nos destinos turísticos. No caso de Lisboa, a realização do Web Summit provocou uma subida em todos os indicadores, com especial destaque para a taxa de ocupação. Nos Açores, a realização do 28º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo da AHP resultou numa boa performance na taxa de ocupação quarto e na estada média. Também em Coimbra a realização de eventos ligados ao setor da saúde e, no Grande Porto, a maratona EDP, levaram a uma franca melhoria nos indicadores operacionais. Em todo o caso – adianta a responsável – o mês de novembro confirma a tendência de crescimento que se verificou em todos os meses do ano de 2016, o que irá confirmar o resultado muito positivo para a hotelaria no ano transato.”

Destinos Turísticos

Minho
O destino turístico do Minho acompanha a tendência nacional de crescimento em novembro de 2016
face ao período homólogo, uma subida de 3,7 p.p. na taxa de ocupação quarto, a qual foi cerca de
37%. No entanto, à semelhança do mês anterior, o AHP Tourism Monitor voltou a registar uma quebra
de menos 5,2% no preço médio por quarto ocupado face ao mês novembro de 2015.

Grande Porto
O mês de novembro de 2016 não foi exceção e manteve a tendência de crescimento do destino Grande
Porto. Os indicadores de operação apresentam, face ao período homólogo anterior, variações positivas
de 23,7% no RevPAR e 7,4% no preço médio face ao período homólogo, as quais foram acompanhadas
por uma taxa de ocupação quarto a crescer mais 8,5 p.p. e que se aproximou dos 65%.

Estes resultados não deixam de estar associados à crescente procura turística pelo destino, mas a
realização de eventos institucionais e desportivos, como a 14º maratona do Porto que contou com
4.736 participantes de várias nacionalidades, assim como a visita oficial dos Reis de Espanha
contribuíram para a boa performance do destino.

Beiras
Nas Beiras registou-se um crescimento à semelhança da região Centro, com o mês de novembro de
2016 a apresentar variações positivas de 2,1% no preço médio por quarto ocupado e 9,1% no RevPAR, face ao período homólogo. Este crescimento foi também acompanhado pela taxa de ocupação quarto
que se aproximou dos 44%, mais 2,9 p.p. do que em novembro de 2015.

Coimbra
Segundo o AHP Tourism Monitor, as unidades hoteleiras de Coimbra apresentaram em novembro de
2016 um aumento de 4,5p.p. na taxa de ocupação quarto, o qual foi acompanhado por um crescimento
a dois dígitos do RevPAR, com mais 17,8%, e de 6,4% no preço médio por quarto ocupado face a
novembro de 2015.

O crescimento em novembro no destino turístico Coimbra advém da realização de eventos
profissionais, nomeadamente congressos e jornadas do setor da saúde nacionais e internacionais, mas
também do incremento do turismo de lazer no destino.

Viseu
Viseu registou em novembro de 2016 uma subida de 1,8 p.p. na taxa de ocupação quarto, face ao
período homólogo. Mas os aumentos mais expressivos verificaram-se no preço médio por quarto
ocupado, com uma subida de 15,1%, e no RevPAR, com mais 22% do que em novembro de 2015.

Oeste
O destino Turístico Oeste continua a beneficiar da projeção internacional de eventos como o “WSL –
Big Wave Tour – Nazaré Challenge 2016”, primeira prova europeia do Mundial de surf em ondas
grandes, que se iniciou a 15 de outubro e que se manteve durante todo o mês de novembro.
A taxa de ocupação quarto foi cerca de 34%, o que significa uma subida de 1,8 p.p. em comparação
com novembro de 2015, ao mesmo tempo que o preço médio por quarto ocupado subiu 4,1%,
aproximando-se dos 57€.

Leiria/Fátima/Templários
Leiria/Fátima/Templários apresentou, durante o mês de novembro de 2016, um crescimento de
mais 10% do preço médio por quarto ocupado, face a novembro de 2015, no entanto a taxa de
ocupação quarto obteve um crescimento mais tímido, de mais 0,3 p.p. do que em novembro de 2015.

Estoril/Sintra
Durante o mês de novembro de 2016, a hotelaria do destino Estoril/Sintra apresenta, face ao período
homólogo anterior, variações positivas de 5,9 p.p. na taxa de ocupação quarto, a qual se fixou cerca
dos 51% e de 8,9% no RevPAR. Porém, o preço médio por quarto ocupado sofreu uma ligeira quebra
de menos 3,7%, face a novembro de 2015.

Lisboa
Lisboa apresentou no mês de novembro uma taxa de ocupação quarto superior a 71%, mais 6,6 p.p.
face a novembro de 2015, mas foi no RevPAR que se verificou o mais expressivo crescimento, 34,8%
face ao período homólogo, acompanhado por uma idêntica subida de 22,3% no preço médio por
quarto ocupado, indicador que se fixou acima dos 94€. Tais resultados estão diretamente relacionados
com a realização do Web Summit no mês de novembro e evidenciam, uma vez mais, a importância de
eventos internacionais e de enorme projeção além-fronteiras no crescimento do destino.

Costa Azul
As unidades hoteleiras do destino Costa Azul revelaram um crescimento em todos os indicadores
operacionais no mês de novembro. A taxa de ocupação quarto verificou um incremento de 3,5 p.p,
acompanhada por uma subida de 8% no preço médio por quarto ocupado, originando um aumento de
mais de 19% no RevPAR, face a novembro de 2015.

Alentejo
Os hotéis do Alentejo apresentaram no mês de novembro de 2016 uma descida de menos 6,3 p.p. na
taxa de ocupação quarto, o que provocou um decréscimo de 8,4% do RevPAR, face ao período
homólogo.

Segundo o AHP Tourism Monitor, este sacrifício do RevPAR deveu-se à menor TO e não ao preço médio
por quarto ocupado, que revelou uma subida de mais 7,3% comparativamente a novembro de 2015.

Algarve
Em novembro 2016, o destino Algarve evidenciou um crescimento nos principais indicadores
operacionais, quando comparado com novembro de 2015.

A taxa de ocupação quarto foi próxima de 44%, tendo beneficiado de um incremento de mais 6,1 p.p.
face ao mês homólogo de 2015. Ao mesmo tempo, a taxa de ocupação quarto, comparada por zonas,
foi superior no Algarve Sotavento, aproximando-se dos 60%, seguida do Algarve Centro e, por último,
do Algarve Barlavento.

A taxa de ocupação juntamente com uma subida de mais 3,4% do preço médio por quarto ocupado
provocaram um expressivo crescimento no RevPAR, na globalidade das categorias, registando um
incremento próximo de 20% face ao período homólogo.

Madeira
Segundo o AHP Tourism Monitor, a hotelaria da Madeira apresenta, pelo segundo mês consecutivo, o
maior crescimento nacional da taxa de ocupação. Em novembro de 2016, a Hotelaria da Madeira
apresenta uma taxa de ocupação quarto de cerca de 78%, mais 3,5 p.p. em comparação com o mês
homólogo de 2015, a qual foi acompanhada por expressivos incrementos tanto no preço médio por
quarto ocupado, como no RevPAR, correspondendo a mais 6,4% e 11,4%, respetivamente.

Açores
Novembro de 2016 foi um mês de particular crescimento para a Hotelaria dos Açores, com uma taxa
de ocupação quarto superior de 52%, resultante de um incremento de mais 13,1 p.p. do que no
período homólogo anterior.

De facto, eventos de carácter nacional e internacional, como o 28º Congresso Nacional da Hotelaria e
Turismo, ocorrido entre 16 e 18 de novembro em Ponta Delgada, alavancam o crescimento do destino
Açores, permitindo que tivesse o maior crescimento nacional do RevPAR, isto é, mais 35,1% do que
em novembro de 2015.