Município de Vila do Bispo aposta no turismo náutico

Município de Vila do Bispo aposta no turismo náutico

Categoria Advisor, Política

A Câmara Municipal de Vila do Bispo estreou-se este ano na Boot Dusseldorf. À semelhança da participação do município em feiras como a Bolsa de Turismo de Lisboa ou a Bienal de Turismo de Natureza, também a participação na Boot é o “materializar de uma estratégia” com foco no turismo. Em entrevista ao Ambitur.pt, Ricardo Soares, arqueólogo do município, afirmou que a Câmara “identificou ao longo dos últimos tempos uma série de potencialidades que merecem ser divulgadas e valorizadas, e Sagres no turismo marítimo turístico, é uma delas”.

vila do bispo geologoSegundo o responsável, Sagres “é de facto um cantinho fantástico, é um palco partilhado entre a natureza e a cultura. Há muito de diferente, desde pegadas de dinossauro a geomonumentos, é uma zona com vários pontos de interesse geológicos, tem história”. No entanto, lembra ao responsável, “a sustentabilidade não é compatível com a massificação e é isso que nos diferencia. Conseguimos promover atividades com mais interesse, com menos gente e preservando o ambiente”.

Na BOOT Dusseldorf, para além da Câmara marcaram presença, também pela primeira vez, cinco empresas do município: Pura Vida Divehouse, Divers Cape, Cape Cruiser, Mar Ilimitado e Sea Explorer Sagres.

20160125_135946 Em entrevista ao Ambitur.pt, Cristóvão Catarino, sócio gerente da Pura Vida Divehouse, afirma que “há muito interesse do mercado alemão por esta região do Algarve – Sagres”. Depois de um 2015 positivo, onde se registaram “sinais de crescimento”, as expetativas para a operação desta empresa, cujos mercados principais são o inglês, alemão, espanhol, holandês e austríaco, são boas. “Estamos a destacar os nosso pacotes, temos serviços associados ao alojamento. Temos pacotes muito interessantes para mergulhadores que permitem aos clientes fazer, além do mergulho, aulas de ioga, passeios de bicicleta, escalada, etc”.
20160125_164847Anabela Balmer, responsável da Divers Cape, dá conta de que, este ano, a empresa contará com mais um barco.”É um novo semi rígido com dois motores de 250 cv, com capacidade para 12 mergulhadores e com casa de banho privada”, explica a responsável, acrescentando que, para 2016, as expetativas “são ótimas”. “Espero que a nossa presença na BOOT traga ainda melhores expetativas de futuro , já para este ano”, acrescenta.
20160125_165613Também Martina Dittmann, responsável da Sea Explorer Sagres, criada em 2014, acredita que este será um ano de crescimento. “Vamos ter um catamarã que é um outro tipo de barco, mais confortável”, afirma. As expetativas são assim de atrair mais turistas, ainda que, frisa a responsável, o objetivo não é “ter um turismo de massas como existe, infelizmente, em Albufeira”.
20160125_140813Por último, Carla Costa, responsável da Cape Cruiser, mostra-se satisfeito com a sua participação na BOOT, uma vez “que a empresa já efetivou algumas reservas”. Depois de um 2015 em que “as suas receitas quase duplicaram”, espera-se um 2016 igualmente positivo.

 

 

 

Portiate adquire dois novos barcos
20160125_130917É já uma presença assídua na BOOT desde 1996. De acordo com José Taveira, general manager da Portiate, esta “é a única feira que ainda vale a pena vir. É muito central, vem gente de todo o mundo”. 2015 foi, para esta empresa, um ano positivo, com crescimentos face 2014. Para este ano, as expetativas são positivas com a apresentação de duas novidades ao mercado. A Portiate adquiriu dois novos barcos “que representam uma grande mais valia para a empresa.” Comprámos um barco de 15 metros porque temos alguns pedidos para charters para a Madeira ou para as Canárias e precisávamos de um barco maior nesse sentido. E comprámos um outro para ir lentamente substituindo a frota”, explica o responsável. A Portiate conta assim, atualmente, com uma frota de cinco veleiros e quatro barcos a motor.

Raquel Pedrosa Loureiro