“Na ITB temos a possibilidade de conseguir chegar mais facilmente aos operadores que pretendemos alcançar”

“Na ITB temos a possibilidade de conseguir chegar mais facilmente aos operadores que pretendemos alcançar”

Categoria Business, Empresas

O Turismo de Portugal abriu portas à participação de startups nacionais em algumas feiras do setor. Assim, na ITB 2017, em Berlim, junto à placa onde se vê a inscrição “Turismo 4.0”, encontrámos uma dessas empresas que ali se apresentaram no intuito de “conseguir chegar mais facilmente aos operadores” dos diversos mercados.

A Green Stays, sediada no Porto, surgiu há cerca 2 anos, primeiro como loja online e mais tarde como operador turístico. Isa Gonçalves, Product Manager da Green Stays, em declarações à Ambitur.pt, explicou que este projeto conta já “com cerca de 100 hotéis parceiros e ainda 40 empresas de animação turística”. O fio condutor é o mesmo: “prepara um conjunto de pacotes onde haja uma consciência de sustentabilidade, para promover um destino sustentável para férias”, sublinha.

“A ideia é de facto é criar também um conjunto de actividades ao ar livre com os parceiros que já existem. Nós somos o único portal a nível nacional com esta cariz sustentável” acrescenta a responsável.

Do camping ao hotel de cinco estrelas, a Green Stays tem diversificado os seus pacotes de oferta turística, onde vendem Portugal de norte a sul. Direcionados para o turismo sustentável, a empresa quer tentar perceber também se por exemplo, os restaurantes típicos utilizam produtos regionais e se as lojas empregam as pessoas da região. A par disso, desenvolvem também serviços de consultoria, onde pretendem ajudar as empresas e hotéis a adquirirem certificação ambiental

Relativamente a esta presença na ITB, Isa Gonçalves refere que a Green Stays procura sobretudo atrair clientes do mercado nórdico, em países como a Alemanha, Holanda e países escandinavos.

“Na ITB temos a possibilidade de conseguir chegar mais facilmente aos operadores que pretendemos alcançar. Por outro lado, perceber também se continuamos a ter clientes para este tipo de turismo”, termina.