Número de passageiros da MSC Cruises aumenta quase 12% em 2017

Número de passageiros da MSC Cruises aumenta quase 12% em 2017

MSC Seaside

O número de passageiros a bordo dos navios cruzeiro da MSC Cruises aumentou para 23 mil em 2017, um crescimento de quase 12% face ao período homólogo. O anúncio foi feito aos jornalistas em Trieste, Itália, a bordo do novo MSC Seaside, pelo diretor geral da empresa em Portugal, Eduardo Cabrita.

O responsável deu a entender que este número poderia ter sido mais expressivo, não fossem os furacões. A companhia considerou, em setembro, que não estavam reunidas as condições de segurança para navegar ate às Caraíbas, um dos destinos mais afetados, devido à rápida evolução de três furacões – Irma, José e Katia. Seja como for, sublinha que, este “é um número muito significativo”.

Tal como se tem repetido nos últimos meses, a MSC tem tido “um crescimento sem precedentes”. Para Eduardo Cabrita não deverá haver “um investimento que se possa comparar dentro do setor dos cruzeiros e já quase dentro dentro do setor do turismo a nível mundial”, acrescentando que se preparam, cada vez mais, para “reinventar o melhor que há em terra para colocar dentro dos navios”.

O peso dos portugueses
Há uma centena de portugueses confirmados pela MSC Cruises a bordo do novo navio-cruzeiro MSC Seaside. A viagem inaugural deverá terminar em meados de dezembro em Miami, nos Estados Unidos da América.

Os números agora avançados devem-se, de acordo com Eduardo Cabrita, à abertura de “três pernas” – Trieste-Funchal, Barcelona-Funchal e Funchal-Miami -, que vieram dar resposta à procura dos portugueses. Para o responsável, é um resultado “extremamente saudável”.

Eduardo Cabrita disse aos jornalistas que, anualmente, 50 mil portugueses procuram fazer férias em navios-cruzeiro, uma evolução que se vem fazendo há cerca de seis anos e que considera mais rápida que a do mercado mundial, sobretudo pela dimensão do país. No futuro, considera que “o setor dos cruzeiros vai ter cada vez mais cartas para dar no setor do turismo”.

Em relação à abertura do novo terminal de cruzeiros de Lisboa, o diretor geral da MSC em Portugal aproveitou a ocasião para afirmar que, até agora, “funcionava, mas para capacidades até 600, 700 passageiros”. Lisboa passa, assim, “a ter a ambição de conseguir fazer um turnaround completo”, comenta.

O responsável assinalou também que estão previstos mais 100 navios no mundo inteiro para os próximos 10 anos, acrescentando que “se [Lisboa] tiver a mesma atratividade que sentimos hoje em dia e a continuar neste caminho, acredito que comece a ficar cada vez mais no círculo em que as companhias de cruzeiros vão começar a planear os seus itinerários”.

*A Ambitur esteve presente na inauguração do MSC Seaside, em Trieste, Itália,  a convite da MSC Cruises.