Parcela Já possibilita pagamento de férias às prestações sem risco para as agências de viagens

Parcela Já possibilita pagamento de férias às prestações sem risco para as agências de viagens

Chegou hoje ao mercado a Parcela Já, um projeto de Miguel Quintas, que visa facilitar a compra de produtos turísticos através de pagamentos parcelados com cartão de crédito.

Logo_ParcelajaNuma apresentação à imprensa, que decorreu, esta manhã, em Lisboa, Miguel Quintas explicou que esta “é uma solução única e inovadora no mercado” que vem unir duas realidades: por um lado, os investimentos grandes de quem viaja e por outro lado, a dificuldade que as agências têm em vender crédito. Atualmente, “apenas 1 a 3% das vendas nas agências de viagens são realizadas com cartão de crédito” devido às “dificuldade associadas à burocracia do processo”. “É um processo complicado. Os agentes de viagens têm que pedir ao cliente o seu IRS, para além do comprovativo da morada e o NIB, que fazem com que a compra não fique fechada na hora. E depois a transação pode ou não ser aprovada”, deu conta o responsável, acrescentando que a Parcela Já, para além de “desburocratizar este processo, facilita a venda”.

Definida como “uma ferramenta de fidelização”, a solução disponibilizada pela Parcela Já permite, de acordo com Miguel Quintas, “diminuir a realização de descontos e aumentar a rentabilidade do negócio” das agências de viagens. “Com esta ferramenta podemos tentar estancar esta sangria financeira que acontece nas agências de viagens. Se o cliente quer parcelar, o produto não tem desconto”, acrescenta.

Segundo Miguel Quintas, a Parcela Já assume os custos de transação do cartão de crédito, não havendo por isso “risco associado” para as agências. Atualmente o pagamento pode ser feito até três vezes, no entanto, é intenção da empresa alargar o número de prestações no futuro. Para o cliente final, afirma o responsável, esta é uma oportunidade de “viajar antes de pagar” e “aumentar o standard das suas viagens”, “com pagamentos suaves”. Qualquer agência pode estabelecer contrato de “Agência de Viagens Parceira” da empresa, tendo apenas que adquirir um Terminal de Ponto de Venda criado especificamente para o efeito e através do qual é feito o parcelamento da compra. A reserva dos produtos turísticos passa a ser feita em muito menos passos e num curto espaço de tempo: o agente de viagens tem apenas que introduzir, depois de registado no site da empresa, as informações relativas ao montante que quer parcelar, os dados do cliente e do cartão de crédito. Tem depois de confirmar todos estes dados no Terminal Ponto de Venda, inserir o cartão de cidadão do cliente, o cartão de crédito e recolher a assinatura do cliente. A agência de viagens recebe o pagamento até 72 horas depois de efetuada a reserva.

No que diz respeito aos custos desta solução para as agência de viagens, a Parcela Já oferecerá gratuitamente o Terminal para as agências que vendam mais de 1.000,00€/mês em produtos turísticos. Para as que ficarem abaixo deste valor, a custo associado é de 10 euros/mês. Como promoção de lançamento, as primeiras 20 agências a aderir terão gratuitidade durante um ano.

O Parcela Já conta ainda com Fornecedores Homologados, o que quer dizer que só estão disponíveis para parcelar os produtos destas empresas: Consolidador.com, James Rawes, Jolidey, Nortravel, Travelplan, Solférias e Soltrópico. “Em termos de outgoing temos 70% do mercado, falta-nos o maior operador”, afirmou.

Não desvendando o investimento total, Miguel Quintas deu conta que foram investidas “uma largas centenas de milhares de euros”. O objetivo da Parcela Já é atingir em 2017 os dez milhões de euros de faturação. No curto prazo, quatro meses, a empresa espera já ter alcançado as 100 agências de viagens.

Da equipa da Parcela Já fazem ainda parte César Valente e Ricardo Campanhã.

Raquel Pedrosa Loureiro