Portugueses residentes viajaram menos no primeiro trimestre

Portugueses residentes viajaram menos no primeiro trimestre

Durante o primeiro trimestre deste ano, os residentes em Portugal realizaram 3,7 milhões de deslocações turísticas, correspondendo a um aumento de 0,8% face ao mesmo período do ano passado. No entanto, e embora positiva, esta variação ficou bastante aquém da observada no trimestre precedente (+5,3%), bem como no primeiro semestre do ano passado (+4,1%).

Segundo os dados do INE, hoje revelados, neste período, as viagens domésticas (3,4 milhões) realizadas no 1º trimestre de 2016 corresponderam a 90,6% do total e registaram um aumento de 2,0%. As deslocações com destino ao estrangeiro diminuíram 1,1 p.p. na sua importância relativa.

A “visita a familiares ou amigos” justificou a realização de 1,9 milhões de deslocações, refletindo um aumento de 8,4%, enquanto, pelo contrário, se verificou redução (-5,0%) nas viagens por “lazer, recreio ou férias” (1,2 milhões). As 408,7 mil viagens por motivos “profissionais ou de negócios” apresentaram um decréscimo de 0,8 p.p. na sua representatividade (11,0% no 1.ºT 2016).

O “alojamento particular gratuito” voltou a ganhar expressão, agregando 72,9% das dormidas (+7,0 p.p. face ao 1.ºT 2015). Os “Hotéis e similares” foram a escolha para 23,3% das dormidas realizadas no trimestre (-3,2 p.p.) .

O INE revela ainda que o automóvel foi utilizado em 3,0 milhões de viagens (80,7% do total, +1,8 p.p.), tendo as deslocações com recurso a avião representado 9,1% do total (-0,9 p.p.).
O aumento das viagens turísticas deveu-se unicamente ao acréscimo registado nas viagens de curta duração (até 3 noites) que, com um peso relativo de 83,4%, aumentaram 3,0%. Em oposição, as viagens de longa duração (4 e mais noites) apresentaram um decréscimo de 10,8% no trimestre em causa.