Preço médio a subir a dois dígitos em julho na cidade de Lisboa

Preço médio a subir a dois dígitos em julho na cidade de Lisboa

No passado mês de julho a hotelaria nacional registou um crescimento significativo em todos os indicadores e em todas as unidades hoteleiras de 3, 4 e 5 estrelas, face ao período homólogo de 2015, na cidade de Lisboa. A Ocupação Média por Quarto na capital portuguesa situou-se nos 85,04 por cento (+2 por cento), impulsionado pelas unidades de 3 e 5 estrelas que registaram aumentos, respetivamente, de 4,8 por cento e 2,9 por cento.

No Preço Médio por Quarto Vendido (Average) destacam-se as unidades de 4 estrelas com o valor mais elevado de taxa de variação (+10,2 por cento) para os 74,31 euros, seguidas das unidades de 3 estrelas (+ 7,5 por cento) para os 64,63 euros.

Já o Preço Médio por Quarto Disponível (RevPar) fixou-se nos 75,82 euros, um aumento a dois dígitos (+10,7 por cento) face a julho de 2015, impulsionado pelo crescimento significativo que se verificou nas unidades de 3 estrelas (+12,6 por cento).

No acumulado entre janeiro e julho, um ligeiro decréscimo na ordem dos 0,3 por cento na Ocupação Média por Quarto, contrapondo com os aumentos verificados nos outros dois indicadores que no caso do Average foi de 5,9 por cento e no RevPar, de 5,6 por cento.

No mesmo mês, na Região de Lisboa, as unidades de 3, 4 e 5 estrelas registaram também um crescimento na Ocupação Média por Quarto de 2,3%, fixando-se nos 84,57 por cento. Destacam-se as unidades de 3 estrelas, que registam 87,77 por cento (+4,6 por cento), seguidas das unidades de 5 estrelas, com 77,94 por cento (+2,9 por cento).

No Preço Médio por Quarto Vendido (Average), o aumento em todas as categorias das unidades hoteleiras traduz-se em 93,79 euros e numa variação positiva de 8,1 por cento.

O RevPar acompanha a tendência registada nos dois indicadores anteriores, apresentando valores positivos nas unidades de 3, 4 e 5 estrelas. O Preço Médio por Quarto Disponível fixou-se, assim, em 79,31 euros, ou seja, mais 10,5 por cento face a junho de 2015. As unidades de 3 estrelas deram o maior impulso para este resultado, ao registarem um acréscimo de 13,2 por cento para os 58,93 euros.

A tendência de crescimento verificada em cada categoria das unidades hoteleiras regista-se também no acumulado de janeiro a julho nos três indicadores analisados.