“Queremos ter uma taxa de ocupação sustentável de outubro a maio”

“Queremos ter uma taxa de ocupação sustentável de outubro a maio”

Esta foi uma das mensagens que Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), quis passar ontem, dia 17 de outubro, no jantar de encerramento da passagem do #RoadshowPortugalEspanha2016 por Lisboa, no Pestana Palace. Com uma sala cheia de agentes e operadores que trabalham o destino, o responsável esclareceu quais os objetivos desta ação, que hoje está em Vigo e amanhã terminará no Porto:”primeiro, dar continuidade à visibilidade e notoriedade do Algarve como destino turístico e, em segundo lugar, criar as condições para que as pessoas possam visitar e estar na região”.

Falando em números, Desidério Silva lembrou os “bastante bons” resultados da região este ano, e até mesmo “excelentes” em alguns casos. Entre janeiro e agosto, mais um milhão de dormidas do que em igual período de 2015, atingindo os 13,2 milhões de dormidas, ou seja, 33% das dormidas do país. “O nosso objetivo é reforçar e criar condições para que entre outubro e maio o Algarve seja mais visitado, que haja mais negócio e mais dormidas”, sublinhou o presidente da RTA. E adiantou que o que a região pretende é “ter uma taxa de ocupação sustentável de outubro a maio para que os hotéis possam estar abertos todo o ano e haja um trabalho de parceria entre todos os agentes da região”.

Referindo-se ao facto de muitos apontarem o crescimento do país, e consequentemente do Algarve, devido à instabilidade do Norte de África, Desidério Silva reconheceu que este é apenas “um fator”. Mas existem outros fatores a trabalhar em favor do destino. “Os empresários conseguiram, nos últimos anos, criar uma oferta de qualidade e sustentável que nos torna, numa opção de escolha, concorrentes de destinos de todo o mundo”, explicou. E evidenciou ainda que para além das condições naturais, do clima e do fator segurança, “a região se tem preparado bem”.

Inês Gromicho