“Tivemos um desempenho exemplar em termos turísticos”

“Tivemos um desempenho exemplar em termos turísticos”

Em 2016 o Algarve registou mais de 18 milhões de dormidas na hotelaria, marca nunca antes alcançada por nenhum destino turístico nacional e que hoje foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), indica a Região de Turismo do Algarve, em comunicado. O Algarve alcançou o primeiro lugar em Portugal não apenas em relação às dormidas de estrangeiros (14,2 milhões, que representam 37,2% de todas as dormidas de estrangeiros no país), como também de residentes (3,9 milhões, ou seja, 25,4% do total das dormidas de residentes em Portugal).

“Depois de um ano a todos os níveis difícil no que concerne à gestão dos parcos recursos que nos são atribuídos, tivemos um desempenho exemplar em termos turísticos. Para um setor estruturante como o turismo seria expectável que se prolongasse este ciclo virtuoso, continuando a investir-se hoje para continuar a colher-se no futuro. Gostaria que o turismo tivesse o tratamento diferenciado que já fez por merecer”, declara o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, na mesma nota.

Dormidas de estrangeiros aceleram
Em todo o ano de 2016 o valor acumulado das dormidas em estabelecimentos hoteleiros, aldeamentos e apartamentos turísticos no Algarve alcançou a fasquia dos 18,1 milhões, mais 9,0% do que no ano anterior. Os mercados externos emissores de turistas para a região, liderados pelo Reino Unido, originaram 14,2 milhões de dormidas, mais 11,9% do que em 2015.

Aumento expressivo dos proveitos
Os proveitos totais da hotelaria regional fecharam o ano de 2016 com uma subida acentuada face ao ano anterior, na ordem dos 19,4%, para um valor recorde de 904,6 milhões de euros, e os proveitos de aposento aumentaram 21,1%, para 666,4 milhões de euros. Também neste indicador foi o Algarve a registar o valor absoluto mais elevado de todas as regiões nacionais.

Mais hóspedes
De janeiro a dezembro o INE assinala igualmente uma evolução positiva nos hóspedes na hotelaria da região, alcançando 4 milhões de hóspedes, um resultado 10,1% acima do verificado no período homólogo. No Algarve, a estada média nos estabelecimentos hoteleiros situou-se nas 4,49 noites, valor que compara com uma estada média a nível nacional de 2,81 noites.

Ano recorde também no aeroporto de Faro
Em 2016 passaram pelo aeroporto de Faro 7,6 milhões de passageiros, número que constitui um novo recorde para a infraestrutura depois de um crescimento de 18,5% em relação a 2015. O número de movimentos de aviões subiu 18,7%. Por mercado, o destaque vai para o Reino Unido, com 3,9 milhões de passageiros movimentados em Faro (+12,9%) e uma quota de mercado de 51,5%. Seguiram-se a Alemanha, com 882 mil passageiros (+22,3%); Irlanda, com 684 mil passageiros (+16,5%); Holanda, com 660 mil (+17,2%); e França, com 418 mil passageiros e um crescimento excecional (+112,8%).

Golfe acima do milhão de voltas anuais
O golfe é um produto turístico de extrema relevância para o Algarve no combate à sazonalidade do turismo balnear. Atualmente existem cerca de 40 campos de golfe dispersos pela região com diferentes características, sendo possível praticar a modalidade ao longo de todo o ano. Em 2016 foram registadas cerca de 1,3 milhões de voltas de golfe, o que correspondeu a um aumento de 10,5% em relação ao ano anterior. Os meses de outubro (161 mil voltas) e abril (148 mil) são os mais procurados pelos golfistas no destino. Fevereiro (+23,0%) e abril (+19,8%) registaram as maiores subidas relativamente a 2015.