Travelport e TAP em parceria junto dos agentes de viagens

Categoria Business, Ot's Av's

A Tavelport, que tem 4408 agentes de viagens utilizadores em Portugal, e a TAP juntaram esforços e estão a percorrer o país em roadshows junto dos agentes de viagens nacionais, numa iniciativa que conta ainda com o apoio da APAVT. O foco, por parte da Travelport, é a divulgação da sua solução tecnológica Smartpoint. Por seu lado a TAP pretende esclarecer as dúvidas ainda existentes relativamente ao rebranding das tarifas para o médio curso, válidas a partir de 1 de outubro. Dois objetivos que se complementam, visto que o Smartpoint é uma das soluções no mercado que permite entender de forma fácil o novo rebranding da companhia aérea, indicam as empresas.

Em declarações ao ambitur.pt, durante o roadshow que teve lugar em Lisboa, António Loureiro, diretor-geral da Travelport, dá conta da importância da iniciativa: “O Focal Point (ferramenta tecnológica fornecida pela Travelport aos agentes de viagens nacionais) vai ser descontinuado e se os agentes de viagens não adotarem rapidamente a plataforma (Smartpoint) que andamos a promover há dois anos vão ser ultrapassados”. Relembra o entrevistado que, no momento atual, os agentes “ainda têm a vantagem adicional de acederem à Rich Content and Branding (da Travelport) que finalmente está operacional” e que permite aceder a uma das ofertas mais vastas do mercado ao nível de tarifas aéreas, mas não só. António Loureiro indica ainda que relativamente ao Smartpoint, “o software e a plataforma estão instalados nas agências de viagens, se antes as vantagens poderiam não ser muitas, agora tudo mudou. Andar para trás já não é o futuro”.

Nelson Almeida, responsável comercial da Travelport, em declarações ao ambitur.pt, contextualiza a iniciativa: “pretende-se de uma forma clara aproveitando o rebranding das tarifas da TAP reforçar a mensagem que temos vindo a passar há três anos que é: a nossa nova plataforma Smartpoint é claramente o futuro e o caminho”. Indica o entrevistado que “aproveitámos este rebranding da TAP e o facto de ser muitíssimo mais simples por parte dos agentes acederem à informação e a todo o seu conteúdo através do Smartpoint e explicar a importância de que eles realmente têm que mudar o chip e deixar o Focalpoint, que todos amamos há 25 anos, mas efetivamente os tempos são outros”. Para o responsável, “não podemos perder tempo, assim como o agente de viagens não o pode perder perante o seu cliente. Um exemplo: qual a percentagem de milhas que a Basic tem em detrimento da Classic e por aí a fora, quando a informação está à distância de um clique”.

O que tem levado a uma não adoção da ferramenta tecnológica por parte dos agentes de viagens, Nelson Almeida indica que “o grão de areia na adoção da nossa nova solução estará por um lado porque maior parte dos nossos clientes estão connosco há 25 anos, sendo resistentes à mudança, por outro lado, poderíamos ter talvez feito um pouco mais, apesar do nosso esforço comercial e de formação, que nos últimos três anos formou mais de dois mil agentes, num curso gratuito”. Indica ainda o responsável que a Travelport em Portugal tem 4408 utilizadores, “ou seja, quase metade dos agentes do país já passaram pela nossa sala de formação”, conclui o entrevistado.

Por parte da TAP, Ana Paula Carvalho, da direção de vendas da companhia, justifica ao ambitur.pt a inciativa no âmbito das novas tarifas da TAP para o médio curso: “A TAP lançou um novo conceito para a Europa, ilhas e Norte de África, ou seja, para o médio curso, com efetividade a partir de 1 de outubro. Criámos produtos para perfis diferentes de clientes, ainda mais com a possibilidade do produto básico poder ter valor acrescentado seja o fast track, um lounge, um lugar especial ou uma mala extra, entre outros. Agora o agente de viagens tem de perceber esta mudança”. Para a responsável, “esta associação com a Travelport faz todo o sentido porque eles realmente têm um produto adequado a podermos visualizar bem estes novos conceitos”.

Relativamente às tarifas, considera Ana Paula Carvalho que “este salto que a TAP deu agora tardou porque outras companhias já o fizeram de outra forma, mas iremos ter mais novidades nos longo curso que não serão um copy paste do que temos no médio curso. Mas vamos reorganizar, modernizar e adaptar cada vez mais a nossa realidade ao cliente os packages tarifários”. Indica ainda a representante da companhia aérea que sabe que os agentes de viagens ainda têm dúvidas, que ainda não está tudo assimilado relativamente às tarifas,” o que lhes peço é que não fiquem com as dúvidas, que nos contatem e façam as perguntas que tiverem que fazer. Precisamos que eles vendam e que não criem resistências a este novo sistema”.

Por Pedro Chenrim