Volta Int: “EUA pede perfil de redes sociais dos viajantes que chegam sem visto”

Volta Int: “EUA pede perfil de redes sociais dos viajantes que chegam sem visto”

Hosteltur – www.hosteltur.com

“EUA pede perfil de redes sociais dos viajantes que chegam sem visto”

O Escritório da Alfândega e Proteção Fronteiriça dos Estados Unidos tem pedido aos viajantes estrangeiros que chegam ao país sem necessidade de visto, que apresentem os seus perfis nas redes sociais. A medida, que entrou em vigor na terça-feira, é opcional e tem como finalidade conseguir mais informação sobre os visitantes, de modo a evitar a entrada de suspeitos. Esta medida é dirigida para viajantes de 38 países que façam a entrada mediante o Sistema Eletrónico para a Autorização de Viagem e que não necessitam de visto para permanecer até 90 dias no território americano.

 

“As agências somaram 34% do total de vendas online de viagens”

As Agências de Viagens Online (OTA) concentraram 32% do total de vendas de viagens e serviços turísticos através da internet, ainda que as vendas intermediadas por agências presenciais tenham suposto 4,2%, segundo um documento do DBK, em relação ao comércio eletrónico de viagens em 2015. O primeiro setor de vendas online é o das companhias aéreas, cuja venda direta supôs no ano passado 44,5% do total, ainda que os hotéis se mantenham com 11%.

 

Panrotas – www.panrotas.com.br

“Briga com Airbnb e OTA’s dominou o ano da hotelaria”

A hotelaria foi um segmento em alta no Brasil em 2016, principalmente na cidade do Rio de Janeiro, que recebeu mais de um milhão de turistas no período. O mercado também viu rompimentos e renegociações entre OTAs (Agências de Viagens Online) e redes de hotéis, insatisfeitas com acordos e serviços prestados pelas plataformas online. A proliferação do Airbnb também foi um dos temas mais comentados no ano, com decisões importantes sendo feitas mundo afora.

 

TTG Digital- http://www.ttgdigital.com/

“As companhias aéreas precisam de melhorar a resolução de reclamações”

O tratamento de problemas e reclamações de clientes é a maior queixa entre os consumidores quando se trata de viagens aéreas. Uma nova pesquisa divulgada pelo Reino Unido mostra que, em geral, 89% dos passageiros estão satisfeitos com o serviço que recebem. No entanto, apenas 29% disseram estar satisfeitos com a forma como são tratados problemas comuns como os atrasos de voo, que subiram para 31% quando ocorreu um atraso de duas horas ou mais. Além disso, apenas 32% estavam satisfeitos com o apoio recebido quando a bagagem foi perdida, roubada ou danificada, enquanto apenas 18% que encontraram interrupção estavam satisfeitos com a duração das filas e aglomeração nos aeroportos do Reino Unido.

 

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Internacional, constituindo o seu conteúdo sempre citação de informações.