Volta Nacional: “Porto de Lisboa ganha novo fôlego”

Volta Nacional: “Porto de Lisboa ganha novo fôlego”

Jornal i

 
“Madeira deve atingir sete milhões de dormidas este ano”

 
A Madeira deverá atingir este ano os sete milhões de dormidas em unidades hoteleiras. As contas são do presidente do governo Regional, Miguel Albuquerque. “A taxa de ocupação hoteleira está ótima, como de resto ao longo de todo o ano. No ano passado tivemos 6630 milhões de dormidas. Foi um ano excecional e este ano pensamos atingir os 7 milhões de dormidas”, declarou o governante.

Diário de Notícias

“Festival Internacional de Cultura não será só literatura”

A rentrée literária nacional que agora começa vai ter no Festival Internacional da Cultura, em Cascais, o palco perfeito para se ouvir a voz de alguns dos escritores que protagonizam a chegada às livrarias portuguesas de alguns bons – e alguns grandes – livros estrangeiros neste final de 2016. A programação do segundo FIC, evento que decorre a partir da próxima sexta-feira e até dia 18, é extremamente apelativa e tem tudo para repetir o sucesso da primeira edição.

SOL

 
“Porto de Lisboa ganha novo fôlego”

 
O Porto de Lisboa ganhou um novo fôlego em julho, depois de ter visto 24 navios a passar pelas suas docas. Este número representa um aumento de 60% em relação ao período homólogo. Em termos de passageiros, também se verificou uma subida, ainda que menor (13,7%). No total foram mais de 45 mil passageiros a desembarcar em Lisboa, a maioria em trânsito. Feitas as contas, nos primeiros sete meses do ano passaram 153 navios pela capital, o que representou uma subida de 2%, impulsionada pelos resultados de julho.

Expresso

 
“Herdade da Comporta (de novo) à venda”

 
O terreno é tão grande que parece um território. Se fosse, seria o território Espírito Santo. Não apenas por ser propriedade da família, mas pela própria vivência assídua de familiares. Mas a Herdade da Comporta saiu do controlo da família quando o Grupo Espírito Santo colapsou. Hoje, faz parte dos ativos da RioForte que serão vendidos para pagar a credores. Depois de uma tentiva falhada, o processo avança agora de novo: será colocado em mercado internacional entre a última quinzena de setembro e a primeira de outubro. Os tribunais já autorizaram o processo de venda, sabe o Expresso, assim desimpedindo a razão que antes travou a operação: o arresto de bens da família. Com a autorização do tribunal, os potenciais compradores têm a segurança de que não há riscos legais de permeio. O negócio pode concretizar-se.

 

 

Nota informativa: O ambitur.pt não se responsabiliza pela informação veiculada nos órgãos de comunicação social que engloba na sua Volta Nacional, constituindo o seu conteúdo citação de informações.