26º Aniversário Ambitur – Onde nos leva o turismo… por Joaquim Ferreira

26º Aniversário Ambitur – Onde nos leva o turismo… por Joaquim Ferreira

Categoria Follow Us, Inside

“Passa a palavra” foi o desafio que a Ambitur colocou a profissionais do setor, e não só. Na edição que marca o seu 26º aniversário lançámos, inicialmente, um repto a três profissionais turísticos – Gonçalo Rebelo de Almeida, da Vila Galé, Nuno Mateus, da Solférias, e Frederico Costa, do Grupo Pestana Pousadas – para comentarem os desafios que o turismo nacional tem pela frente, mas também os incumbimos de indicar quem deveria ser submetido a igual exercício seguidamente. O organograma indica-nos quem deu a palavra a quem, sendo que Miguel Quintas e Paula Oliveira, os colunistas residentes de Ambitur, juntaram-se ao trabalho por indicação nossa.

Hoje publicamos o repto deixado por Joaquim Ferreira, presidente da Osíris Travel:

“Portugal vive hoje um momento único como destino turístico, circunstância que decorre de uma conjugação de vários fatores a que podemos identificar de ‘conjugação perfeita’. Aposta forte e profissional na promoção turística, investimentos focalizados em mercados alvo aliado aos agora denominados mercados emergentes, significativa e para melhor alteração nos modelos de promoção turística do Turismo de Portugal, fatores geopolíticos na sequência das denominadas Primaveras Árabes, o reconhecimento Internacional de Portugal como destino turístico em dezenas de troféus conquistados nos mais variados media, a nossa peculiar forma de receber, a nossa história, os nossos museus, a nossa gastronomia, as nossas paisagens tão distintas e singulares percorrendo apenas algumas dezenas de quilómetros, a excelente qualidade dos serviços prestados pelos nossos profissionais são sem dúvida os principais factores para a referida ‘conjugação perfeita’.

Mas, tenhamos todos a consciência que não está tudo feito assim como nada será eterno. É este o momento certo para um balanço exaustivo e sério, analisar e preparar outro tipo de necessidades que os recordes de turistas nos trazem para novas realidades. Será, pois, imperioso melhorar acessibilidades, alterar e consolidar infraestruturas e de uma vez por todos melhorar a sinalética das mais variadas informações.”