44.º Congresso da APAVT irá debater os desafios do crescimento do Turismo

44.º Congresso da APAVT irá debater os desafios do crescimento do Turismo

Foi ontem, no rooftop do Hotel Mundial, em Lisboa, que a Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) relevou o logótipo e o tema do seu 44.º Congresso Nacional, a decorrer entre 21 e 25 de novembro, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, nos Açores. Este ano, a associação debate os desafios do crescimento turístico.

Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, começou por frisar que é “em boa hora” que o Congresso regressa aos Açores — depois das edições em 1995, 2006 e 2013 –, numa altura em que o arquipélago se encontra em crescimento. “Vive-se nos Açores uma nova era, feita de dinamismo, de confiança e de modernidade”, com a diversificação da animação turística, a renovação dos hotéis, novos conceitos de alojamento e a aposta no turismo experiencial.

O presidente da APAVT garante que esta é uma oportunidade “de conviver com uma realidade turística [açoriana]” que para muitos constituirá uma “surpresa muito agradável” e que se tem vindo a alterar a uma “velocidade quase inesperada”, tal como o Turismo nacional. Mas o crescimento turístico também traz os seus desafios.

“Portugal tem tido um percurso absolutamente fantástico, nos últimos anos, mas todos sabemos que os ciclos económicos não duram indefinidamente”, alerta Pedro Costa Ferreira. Assim, alguns dos desafios a refletir estão relacionados com: a interrupção de algumas operações aéreas relevantes (como é o caso da falência da Monarch), as dificuldades de operação no aeroporto de Lisboa, as dificuldade de operação da TAP, o Brexit e os problemas de operação turística em Lisboa. Além disso, é preciso definir os “próximos passos” para a sustentabilidade do turismo e do próprio destino Açores.

As potencialidades dos Açores

Por sua vez Marta Guerreiro, secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores (SREAT), notou que esta edição do Congresso da APAVT “representa mais um momento de partilha in loco de todas as potencialidades” dos Açores, fazendo a região crer que “cada vez mais somos considerados como um local privilegiado para o chamado turismo de eventos, no qual, nos interessa e muito investir”. Este será o momento de o provar, com os cerca de 500 agentes de viagens e operadores turísticos a dirigirem-se ao arquipélago para este evento.

A responsável acrescenta que esta constitui uma “aposta na atenuação da sazonalidade” e relembra que o mercado nacional continua a ser, de longe, o principal mercado emissor do turismo nos Açores. Em 2017, os turistas portugueses representaram 41% do total de dormidas na região — revelando um crescimento de 19%.