AHP pretende demonstrar que “O Turismo tem futuro” em Congresso

AHP pretende demonstrar que “O Turismo tem futuro” em Congresso

Um “statement“, considera Cristina Siza Vieira, vice-presidente executiva da Associação da Hotelaria de Portugal, sobre o tema ao qual se vai subordinar o 32º Congresso da Hotelaria e Turismo, que vai realizar-se em Albufeira, no Algarve, de 11 a 13 de novembro deste ano. Sob o desígnio “O Turismo tem futuro”, a responsável considera que esta é “uma posição de toda a indústria, pois todos somos turistas e viajantes”.

A apresentação do evento teve hoje lugar na Câmara Municipal de Albufeira e juntou o presidente da Câmara, José Carlos Rolo, o presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, Raul Martins, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal, e Cristina Siza Vieira, vice-presidente da Associação. Esta foi ainda a ocasião para assinatura de dois protocolos, entre a AHP e o município de Albufeira e a Entidade Regional do Turismo do Algarve, que visam o apoio ao 32º Congresso da Hotelaria e Turismo.

Raul Martins realçou na ocasião os “tempos complexos e difíceis que atravessamos”, mas destaca que “é tempo de olhar para a frente”. Sendo assim, e sob o lema “O turismo tem futuro”, o responsável destaca que mais “que um tema para o Congresso, esta é a certeza da hotelaria e turismo nacional”. Ou seja, “é chegado o momento de debater o setor e o que queremos para o futuro”, tendo em conta a retoma prevista para 2022. Alerta o responsável que é preciso “preparar o caminho”, pois prevê-se que em 2024 se atinjam os valores de 2019 e que voltem alguns dos constrangimentos a uma maior evolução que existiam no passado, como o caso das limitações do Aeroporto internacional de Lisboa.

Questionado sobre se o tema também procura uma reafirmação política relativamente à atividade económica turística, o responsável aponta para a transversalidade da geração de riqueza da atividade turística, “desde a agricultura às tipografias”. Por outro lado, “pretendemos responder aqueles que são céticos quanto à atividade económica do turismo”. Acrescenta ainda Raul Martins que o setor “não está preocupado em afirmar que é o setor económico que vai à frente no país, quem quiser de outros setores que o faça, mas nós estamos cá”.

João Fernandes, presidente da Entidade Regional do Turismo do Algarve, considerou, na apresentação do Congresso, que se pode e deve abordar “que o turismo tem futuro, porque também um passado”. Para o responsável “muitos colocam em causa o setor que nos tirou da última crise e que também nos irá tirar desta”. Indica ainda o responsável que não há nenhum setor de atividade em Portugal com capacidade de se aproximar daquilo que a atividade turística irá representar até 2023 na geração da riqueza. Por fim, acrescenta que “quando há uma crise há a ideia que se acabou o turismo. Mas o turismo tem sempre a capacidade de duplicar, após estas, a sua importância no país”.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo, abordando a atualidade, em plena época alta do verão, considera que se está numa “situação que não é nada agradável, uma situação péssima. Mas esperemos em breve” se dê o virar de página.

Apesar de ainda ser prematuro, pois ao longo dos próximos meses será ainda trabalho o programa do Congresso, Cristina Siza Vieira indica que este poderá almejar atingir um número superior às cinco centenas de participantes. O evento terá lugar no Nau Salgados Palace.

Pedro Chenrim, em Albufeira