AHP Tourism Monitors: Junho com queda da taxa de ocupação em vários destinos

AHP Tourism Monitors: Junho com queda da taxa de ocupação em vários destinos

De acordo com o AHP Tourism Monitors, o mês de junho de 2018 registou, a nível nacional, uma taxa de ocupação de 81%. O ARR – preço médio por quarto ocupado fixou-se nos 101 euros e o RevPAR nos 82 euros.

 Em junho de 2018, a taxa de ocupação quarto a nível nacional decresceu 0,7 p.p., fixando-se nos 81%. Por destinos turísticos, Lisboa (91%), Madeira (89%) e Grande Porto (85%) registaram as taxas de ocupação mais elevadas. As categorias quatro e três estrelas voltaram a registar, pelo segundo mês consecutivo, uma quebra de 1,1 p.p. e de 2,6 p.p. O ARR fixou-se nos 101 euros, mais 9% do que em igual período do ano passado. Lisboa foi o destino que registou uma melhor performance (124 euros), seguido do Algarve e Estoril/Sintra (108 euros).

O RevPAR registou um aumento de 9%, atingindo os 82 euros. Em termos relativos, destaque para a Costa Azul com um crescimento de 24%, seguido do Alentejo e das Beiras com 18%. A categoria três estrelas foi a que registou um maior crescimento no ARR e RevPAR, de 17% e 13%, respetivamente.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da Associação da Hotelaria de Portugal, comenta: “Tivemos um junho atípico, bastante chuvoso e frio, o que pode justificar a quebra da taxa de ocupação na maioria dos destinos. Dos 14 destinos analisados pelo Hotel Monitor, apenas as Beiras, Costa Azul, Alentejo e Lisboa apresentaram variações positivas no mês de junho. No entanto, apesar deste decréscimo, fechámos o mês com uma taxa de ocupação de 81% a nível nacional, de 91% em Lisboa e 85% no Grande Porto, a par de um crescimento de 9% no ARR nacional, o que são muito bons indicadores. De resto, em termos gerais, mantem-se a rota ascendente no ARR e no RevPAR.”

Destinos Turísticos

Minho

Em junho de 2018, a taxa de ocupação quarto foi de 63%, revelando uma quebra de 3,1 p.p. face ao período homólogo. O preço médio por quarto ocupado foi de 60 euros e o RevPAR registou uma quebra de 4%.

Grande Porto

Os indicadores no destino Grande Porto apresentaram, face ao período homólogo, uma variação positiva de 6% no RevPar e o preço médio por quarto ocupado registou um crescimento de 10%. A taxa de ocupação quarto foi de 85%, menos 3,5 p.p. do que em junho de 2017. No Grande Porto, de realçar a quebra em todas as categorias na taxa de ocupação, em particular nos três principais indicadores – TO, ARR e RevPAR – na categoria 2 estrelas.

Beiras

No destino turístico Beiras verificou-se um crescimento do preço médio por quarto ocupado, fixando-se nos 63 euros, acompanhado pelo RevPar com mais 18% face ao período homólogo. A taxa de ocupação quarto registou, de igual forma, a tendência de subida atingindo os 63%.

Coimbra

As unidades hoteleiras de Coimbra apresentaram uma taxa de ocupação quarto de 74%, o que representa uma quebra de 1,5 p.p. face ao período homólogo. Destaque ainda para o preço médio por quarto ocupado de 66 euros e para o RevPAR, o qual cresceu 7%.

Viseu

A taxa de ocupação quarto foi de 41%, revelando uma quebra de 6,3 p.p. face ao mesmo mês de ano anterior. O preço médio por quarto ocupado registou um crescimento de 12%, face ao período homólogo.

Oeste

A taxa de ocupação quarto foi de 64%, evidenciando uma quebra de 2,4 p.p., face a junho de 2017. No mesmo período, o preço médio por quarto ocupado fixou-se nos 76 euros.

Leiria/Fátima/Templários

No mês de junho, destacou-se a quebra da taxa de ocupação quarto em 10,5 p.p., face ao período homólogo, atingindo os 52% o qual foi acompanhada por uma descida de 11% no RevPAR.

Estoril/Sintra

A hotelaria do destino Estoril/Sintra apresentou uma variação negativa de 1,4 p.p. na taxa de ocupação quarto, fixada em 80%, e um crescimento de 12% no RevPAR e o preço médio por quarto ocupado atingiu os 108 euros.

Lisboa

Em junho de 2018, o destino turístico Lisboa registou uma taxa de ocupação quarto de 91%, revelando uma subida de 3,2 p.p. face a junho de 2017. Em termos de RevPar, o valor de junho de 2018 cifrou-se em 112 euros. Verificando-se, igualmente, um aumento de 12% no preço médio por quarto ocupado.

Costa Azul

As unidades hoteleiras deste destino apresentam, no mês de junho, um preço médio por quarto ocupado de 75 euros. A taxa de ocupação quarto foi de 82%, mais 5,6 p.p., e o RevPar obteve um aumento de 24%.

Alentejo

Os hotéis deste destino apresentaram no mês de junho, uma taxa de ocupação quarto de 69%, mais 2,8 p.p., e um RevPar de 56 euros. O preço médio por quarto ocupado evidenciou uma subida de 14%, face ao período homólogo anterior.

Algarve

Em junho de 2018, a taxa de ocupação quarto no Algarve foi de 79%, menos 2,9 p.p., face ao mês homólogo de 2017. A taxa de ocupação quarto, quando comparada por zonas, foi superior no Algarve Centro (81%), face ao Algarve Sotavento (71%) e ao Algarve Barlavento (79%). O preço médio por quarto ocupado foi, em junho de 2018, de 118 euros e o RevPar cresceu 5,9%.

Madeira

Em junho de 2018, a hotelaria da Madeira apresentou uma taxa de ocupação quarto de 89%, menos 3,6 p.p., face a junho de 2017. O preço médio por quarto ocupado fixou-se nos 70 euros e o RevPar evidenciou uma quebra de 4%.

Açores

Em junho de 2018, a Hotelaria dos Açores apresentou uma taxa de ocupação quarto de 81%, menos 7,1 p.p. do que no período homólogo anterior. O preço médio por quarto ocupado cresceu 21% e o RevPAR atingiu os 70 euros.