AHRESP alerta para “cenário dramático” nas empresas de animação noturna

AHRESP alerta para “cenário dramático” nas empresas de animação noturna

Categoria Advisor, Associativismo

As empresas de animação noturna, fulcrais no contexto da oferta turística nacional, encontram-se de portas fechadas, por determinação legal, há cerca de cinco meses. Em comunicado, a AHRESP (Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal) alerta que este “cenário dramático”, de total “descapitalização” das empresas, coloca em “risco a sustentabilidade e sobrevivência de milhares de negócios e de muitos milhares de postos de trabalho”.

Enquanto entidade representativa destas relevantes atividades económicas, a AHRESO tem acompanhado, desde a primeira hora, o “drama sentido por estas empresas”, procurando “incentivar a sua reabertura junto das entidades competentes”, destaca em comunicado. Foi assim apresentado há várias semanas um Guia de Boas Práticas ao Ministério da Economia, ao qual se aguarda reação e respetiva validação por parte da Direção-Geral da Saúde.

Na impossibilidade sanitária da reabertura no curto prazo para estas empresas, a AHRESP apresentou ao Governo um Programa de Apoio, com propostas concretas, compensatórias, para que o setor da animação noturna possa sobreviver. “Urgem assim apoios financeiros não reembolsáveis para reforço das tesourarias, bem como um apoio específico para a manutenção dos milhares de postos de trabalho que dependem destas atividades económicas”, diz a associação em comunicado.

Foto: Gusto BAr