Airmet: “Já somos vistos como uma pequena família”

Airmet: “Já somos vistos como uma pequena família”

O diretor-geral da Airmet, Luís Henriques, no âmbito das comemorações do 15º aniversário da rede, em Lisboa, destacou “o espírito diferente” que a empresa demonstra e acrescentou que “já somos vistos como uma pequena família, que cada vez será mais forte”.

A Airmet celebrou na passada sexta-feira, dia 15 de outubro, o seu 15º aniversário, no espaço da Ordem dos Médicos, em Lisboa. O evento marcou o reencontro do grupo de gestão, desde o início da crise sanitária, e contou com cerca de 150 convidados. A celebração teve início ao final da tarde, com um cocktail de boas-vindas, seguido de um jantar, cujo patrocinador oficial foi a Amadeus Portugal, sendo a festa patrocinada pelo Grupo Ávoris.

Na ocasião, Luís Henriques considerou que esta foi “uma casa que me recebeu muito bem há um ano e meio e acompanha-me uma equipa que tem dado tudo o que tem em prol do desenvolvimento da Airmet”. O responsável agradeceu também às agências associadas: “há um ano e meio seria impossível juntar 150 pessoas em Lisboa e mais 160 pessoas no Porto. Todos estamos com muita vontade de conviver, de sair, com vontade de estar juntos, mas também sinto que temos um espírito diferente e já somos vistos como uma pequena família que queremos cada vez reforçar mais e que cada vez será mais forte”.

Susana Fonseca e Miguel Quintas

Por seu turno, Miguel Quintas, acionista da empresa, destacou o percurso da Airmet: “Esta nasceu em 2006, faz 15 anos, começámos com 15 agências, foi um parto muito difícil, o qual se seguiram tempos de altos e baixos”. No entanto, o responsável aproveitou para destacar a resiliência do grupo, personificando o seu êxito e longevidade em Susana Fonseca, diretora operacional da Airmet, que ali se encontra desde a sua abertura. Aproveitando o evento para uma homenagem, considerou Miguel Quintas que “a Susana Fonseca esteve aqui sempre a apoiar-nos, seja ao nível da empresa, seja das agências de viagens, seja nos momentos mais difíceis, seja nos de felicidade”.

Relativamente ao momento da pandemia de Covid-19, Miguel Quintas enfatizou que “este ano e meio significou para a Airmet um momento muito difícil, quase de convulsão; agradeço às 150 pessoas que aqui estão e que apoiaram a Airmet nesse momento tão difícil, assim como agradeço o voto de confiança dado à empresa e a mim, Miguel Quintas”.

Na próxima sexta-feira, dia 22 de outubro, a Airmet celebrará também o seu aniversário com associados e parceiros, desta vez, no Porto.

Pedro Chenrim