Airmet quer apostar numa estratégia de canalização de vendas (fotogaleria)

Airmet quer apostar numa estratégia de canalização de vendas (fotogaleria)

A Airmet, que esteve este fim-de-semana reunida no Hotel Vila Galé Évora para a sua XVI Convenção, tem como grande objetivo seguir uma estratégia comercial e de contratação focada na canalização de vendas. Paulo Mendes, diretor-geral do Grupo Airmet, numa conversa com a imprensa, explicou que a intenção é focar em determinados fornecedores, quer a nível da tour operação como da hotelaria e da aviação, para “podermos ter um maior poder negocial com esses fornecedores”, sendo que este foi um dos temas mais abordados na reunião interna para associados da Airmet que teve lugar logo na sexta-feira, dia 29 de março, bem como ao longo do dia 30. Uma estratégia que já pode verificar-se no facto de, este ano, terem sido convidados menos fornecedores do que no ano passado e, para 2020, o objetivo é “reduzir cada vez mais o número de participantes, focando-nos nos principais parceiros”, frisa o responsável, que afirma terem estado cerca de 290 participantes nesta convenção anual, dos quais 196 agentes de viagens.

Recorde-se que, neste momento, os principais fornecedores do grupo a nível de tour operação são, por ordem de importância, a Soltour, Ávoris, Solférias, Soltrópico e Nortravel; no que diz respeito às centrais hoteleiras, Paulo Mendes destacou como cinco principais a Veturis, Bedsonline, World2Meet, Tourdiez e Teldar.

2019: crescer 19%
O grande objetivo da Airmet para este ano é crescer 19% “nos nossos fornecedores estratégicos”. Embora Paulo Mendes admita que o crescimento atual a nível da venda antecipada seja bastante superior, acredita que “um crescimento de 30% é irreal até ao final do ano”. Mas adianta que o ambiente que sentiu nesta convenção foi de “otimismo” e “entusiasmo”.

Quanto a novidades, a aposta passa por tecnologias que aumentem a produtividade das agências de viagens, nomeadamente no que diz respeito à poupança de tempo para rapidamente poderem dar orçamentos e propostas aos clientes. A Airmet fechou assim uma parceria com a empresa espanhola Beroni, que apresenta a plataforma wasabi (comparação de centrais hoteleiras), a qual, segundo o diretor-geral da Airmet, “é uma ferramenta de hotelaria muito completa”.

Também este ano, a Airmet está a renovar a sua intranet, de forma a que fique mais adaptada às novas realidades e permita que a agência de viagens possa trabalhar, a qualquer momento, a partir do seu telemóvel. “A ferramenta da wasabi também vai permitir dar mobilidade ao agente de viagens e rapidez no serviço prestado ao cliente”, garante Paulo Mendes. Outra novidade será a reformulação do site.

Entre os principais desafios para este ano está o NewGen, a nova modalidade de pagamento da IATA. Mas “temos que estar preparados e ter as ferramentas necessárias para poder competir no mercado e transmitir confiança aos nossos clientes”, sublinha o responsável.

Além disso, Paulo Mendes apontou a questão da nova diretiva e da lei das agências de viagens como ainda preocupante em 2019 pois “há muito por fazer e interiorizar no setor” e é uma das questões que influenciam diretamente a operação do dia-a-dia das agências e dos operadores turísticos. “Muitas delas já estão a começar a informar os clientes no momento da reserva mas a questão aqui é saber até que ponto o cliente irá abusar ou não desta lei. O direito a reclamar, por tudo e por nada, é um hábito cada vez mais enraizado na sociedade portuguesa”, justifica.

2018: um ano recorde
Quanto a 2018, a Airmet registou um crescimento de 15% no volume total de vendas face ao ano anterior, atingindo um recorde pelo facto de ultrapassar, pela primeira vez, a faturação de 200 milhões de euros. O crescimento na área da tour operação foi acima da média, situando-se nos 19,1%.

Paulo Mendes destaca como tendo uma das grandes vantagens do ano passado o facto de não ter havido grandes flutuações no pricing das operações de verão. “Não houve quebras bruscas no preço médio, o que dignificou mais a venda antecipada”, reforça.

A nível de balcões, a rede atingiu os 285, crescendo 2%. Mas Paulo Mendes destaca que o grande objetivo da Airmet é o crescimento médio por agência. “Queremos que as agências que estão no nosso grupo cheguem a um ponto de maturidade em que a sua faturação média é superior ano após ano”, concluiu.

Algumas fotos da Convenção 2019

Inês Gromicho, na XVI Convenção da Airmet, em Évora.