Alentejo: “A generalidade das nossas empresas estão preparadas para reagir muito positivamente à expectável retoma” do turismo

Alentejo: “A generalidade das nossas empresas estão preparadas para reagir muito positivamente à expectável retoma” do turismo

Com o evoluir do desconfinamento um pouco por todas as regiões do país, Ambitur.pt tem estado a conversar com os responsáveis por cada uma delas com o intuito de perceber os principais desafios que enfrentam. Vítor Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, não hesita em afirmar que o principal desafio é mesmo “garantir que as empresas turísticas não encerrem as suas portas, ou as encerrem apenas temporariamente, até que a procura turística volte”. O responsável acredita que o Governo, e o Turismo de Portugal, bem como as diferentes regiões, “saberão responder de forma adequada” a todos os desafios que a retoma da atividade trará.

Da parte da região do Alentejo e Ribatejo, reconhecendo que tem já uma oferta turística bastante estruturada, a intervenção, a nível do mercado nacional e internacional, irá incidir essencialmente na comunicação dessa oferta, “enquadrada naquilo que são os nossos valores fundamentais”, explica.

Vítor Silva confidencia à Ambitur.pt que “esperamos que a atividade turística comece a ser expressiva a partir de maio”, isto para o mercado nacional, mas adianta que o mercado internacional só deverá começar a reanimar a partir do final do verão. “Prevemos que no verão o Alentejo esteja com taxas de ocupação excelentes, à semelhança do que aconteceu no passado ano, mas à custa dos residentes em Portugal”. Já quanto ao ano global de 2021, o dirigente não tem dúvidas de que, infelizmente, não será muito diferente do ano anterior. Porém, Vítor Silva está confiante de que “a generalidade das nossas empresas estão preparadas para reagir muito positivamente à expectável retoma da atividade turística, que se espera nos próximos meses”.

Inês Gromicho