Alojamento Local: maio agravou os baixos níveis de ocupação em abril

Alojamento Local: maio agravou os baixos níveis de ocupação em abril

O mês de maio confirmou a paralisação do mercado de Alojamento Local (AL), com as taxas médias de ocupação neste tipo de alojamento a atingirem os “5% em Lisboa e os 3% no Porto”. Esta é uma das principais conclusões do inquérito partilhado pela Confidencial Imobiliário no âmbito do SIR-Alojamento Local.

Mesmo incluindo alguns dias de desconfinamento, o mês de maio “agravou os já baixos níveis de ocupação observados em abril, quando Lisboa registou uma taxa média de ocupação de 10% e o Porto de 11%”, confirma o inquérito. Em maio de 2019, a “ocupação média em Lisboa foi de 73% e no Porto de 66%.” Já no mês de março, a “ocupação média do AL nas duas cidades rondou os 40%”, refletindo ainda a dinâmica de um mês que combinou períodos pré e pós-Covid.

Outro indicador da pressão da pandemia no AL, fortemente afetado pela suspensão global dos fluxos turísticos, é a “quebra de 94% em Lisboa e 96% no Porto no número de noites vendidas, agravando as quedas observadas em abril, que tinham sido, respetivamente, de 75% e 67%”.

Em consequência da paragem da ocupação, o RevPAR voltou a diminuir em maio, atingindo os 11€ em Lisboa os 7€ no Porto. Tais valores comparam, respetivamente, com os 15€ e os 14€ registados em abril. No período homólogo, o RevPAR de Lisboa atingia os 58€ e o do Porto os 44€.

Segundo o mesmo inquérito, as diárias médias mensais dos alojamentos com ocupação em maio mantiveram-se, contudo, nos níveis habituais do mercado, atingindo 93€ em Lisboa e 70€ no Porto.