Angola apela ao investimento hoteleiro português no país

Categoria Advisor, Home, Internacional

Angola receberá, de 9 a 12 de& Outubro,& a 3ª edição da Bitur-Okavango, cujos principais objectivos têm sido, não só promover o turismo interno, mas também estimular as parcerias internacionais.&Os passos que têm sido dados entre as autoridades oficiais portuguesas e angolanas, e que este evento evidencia, têm sido no sentido de conseguirmos estruturar os mecanismos e criarmos as condições para fortalecimento das relações económicas entre os dois países, potenciando o investimento português em Angola e o investimento angolano em Portugal&, afirmou Eugénio Clemente, director-geral da Infotur, na apresentação do evento em Lisboa, que decorreu no Hotel Tryp Lisboa Aeroporto.Segundo o responsável, a elaboração e aprovação, em 2011, do Plano Director do Turismo, no qual a cultura, o sol e mar e a natureza surgem como produtos estratégicos de Angola, veio evidenciar a &&importância do turismo para o futuro desenvolvimento do país&. &Para concretizar esta nova visão necessitamos de mais empresas, mais serviços, de alargar a esfera de influência do sector privado na actividade turística, uma oferta integrada que não passe só e apenas pela tradicional hotelaria. Os tours turísticos, os autocarros, as empresas de animação, as empresas de pesca desportiva, o transporte aéreo, as agências de viagem, os rent-a-car, etc, são áreas de actuação e de negócio que apresentam potencial de crescimento em Angola&; afirmou o responsável, apelando aos empresários portugueses que, &no contexto& do próximo quadro de apoios comunitários europeus, os vossos fundos disponíveis sirvam para internacionalizarem e iniciarem ou reforçarem a vossa presença em Angola no contexto das vossas parcerias vantajosas&.Susana Pereira, directora da FIL Luanda, realçou também a escassez da oferta hoteleira no país. &Neste momento há taxas de ocupação hoteleira muito acima do overbooking, se houver um evento de maior projecção na cidade, a oferta hoteleira claramente já não é suficiente para dar resposta a toda essa necessidade&.A responsável deu conta ainda da importância do mercado angolano em Portugal, uma vez que este é já o quinto país com mais peso no turismo do nosso país. &Em 2012/2013 registou-se um crescimento de 12% nos gastos dos angolanos em Portugal&, principalmente no sector do turismo residencial.Angola recebeu em 2013, 1,5 milhões de turistas, provenientes principalmente de Portugal, Brasil e China. Destes, 44% são europeus e 80% viajam em negócios.Por Raquel Pedrosa Loureiro