APAVT debate os desafios de crescimento turístico numa das “regiões que mais cresceu nos últimos anos”

APAVT debate os desafios de crescimento turístico numa das “regiões que mais cresceu nos últimos anos”

Categoria Advisor, Associativismo

Os Açores foram os escolhidos para acolher o 44.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que se realiza entre 21 e 25 de novembro, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel. A Ambitur falou com Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, para perceber a escolha do destino e do tema do evento.

Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, começa por garantir que a Associação tem tido a “preocupação de ‘distribuir’ o congresso pelas diversas regiões do país”, sendo parte da sua filosofia adotar uma “íntima ligação ao destino” que a recebe.

Este ano, o Congresso regressa aos Açores (após as edições de 1995, 2006 e 2013). Segundo o presidente da APAVT trata-se de uma “feliz escolha” pois: “Voltar hoje aos Açores, para discutir os desafios de crescimento de Portugal enquanto destino turístico, é fazê-lo numa das regiões que mais cresceu nos últimos tempos” e sobre a qual se deve refletir em termos de sustentabilidade.

Para Pedro Costa Ferreira, a ilha de São Miguel apresenta uma oferta moderna e diversificada, e um dos objetivos do Congresso da APAVT é “mostrar aos agentes de viagens as novas oportunidades de negócio que existem em cada região”.

Com o intuito de divulgar o destino, o 44.º Congresso da APAVT terá uma sessão de “inserção total no destino” e várias atividades de interação com São Miguel, nomeadamente, a observação de cetáceos.

Turismo: Os desafios do Crescimento
Sobre a escolha do tema do 44.º Congresso da APAVT, Pedro Costa Ferreira explica que a associação acredita que “estamos, enquanto destino turístico e mesmo enquanto setor, a chegar a um final de ciclo de crescimento”, o que obriga a novos conceitos e a novos modelos de negócio.

Assim, os “diferentes painéis desenvolverão os vários temas, construindo caminhos para o futuro”. Alguns dos desafios a refletir estão relacionados com as acessibilidades aéreas, o Brexit, problemas de operação turística na cidade de Lisboa e sobre quais os próximos passos a dar no caminho para a sustentabilidade.

O presidente destaca, de entre os momentos-chaves e oradores do evento, a ‘aula’ de abertura do Congresso – intitulada “Os elegantes comem-se às fatias” – proferida pelo Comandante Ângelo Felgueiras e ainda o regresso de Adolfo Mesquita Nunes.

A adesão tem sido “massiva” e para esta edição é esperado que rumem aos Açores mais de 500 agentes de viagens e operadores turísticos.

Rita Inácio. Este artigo foi publicado na edição 315 da Ambitur.