ARAC debateu mobilidade e turismo na sua III Convenção Nacional

ARAC debateu mobilidade e turismo na sua III Convenção Nacional

Categoria Business, Transportes

Sob o lema “O Futuro da Mobilidade e do Turismo”, a ARAC – Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor realizou a sua III Convenção Nacional no Auditório da Culturgest, em Lisboa, na passada sexta-feira.

Ao todo, estiveram em debate cinco painéis de oradores que Joaquim Robalo de Almeida classificou como sendo verdadeiros “momentos de reflexão e de debate”. O secretário-geral da ARAC, na sessão de encerramento, sublinhou a importância desta convenção, especialmente nas “questões prementes” e nos “novos desafios” com que, atualmente, as empresas de aluguer de veículos sem condutor se deparam.

Através do vasto painel de oradores, que trouxeram a “experiência e o conhecimento para cima da mesa”, percebeu-se que as empresas de aluguer de veículos sem condutor estão em constante mudança devido à “evolução tecnológica dos meios de mobilidade e dos novos modelos de locação, assim como o desenvolvimento da atividade turística”, acrescenta o responsável.

Fazendo um pequeno balanço desta terceira edição, o dirigente sublinha que as principais ideias a reter prendem-se com a “importância das estratégias da mobilidade” e a “mobilidade elétrica”, sem esquecer o “turismo no atual momento e no futuro”, a “condução inteligente e os veículos autónomos” e os “enquadramentos económicos jurídicos destas novas atividades”.

Joaquim Robalo de Almeida alertou ainda para o facto de, hoje em dia, a mobilidade estar na “composição de qualquer produto turístico”. Independentemente da sua dimensão, as empresas são “confrontadas” com ambientes “altamente concorrenciais, e que exigem uma dinâmica de ajustamento empresarial cada vez maior”, sublinha.

O responsável acredita assim que esta iniciativa permitiu ajudar o desenvolvimento do setor da locação de veículos e da mobilidade, deixando o compromisso da ARAC em prosseguir e acompanhar os “desenvolvimentos e as inovações tecnológicas que os setores da mobilidade e do turismo continuarão a experimentar”.

Cristiana Macedo