As escolhas de… Gabriel Soeiro Mendes

As escolhas de… Gabriel Soeiro Mendes

Nasceu em 1982 e tem origens em Tomar. Mas foi na ilha do Lombo, “um paraíso rodeado pelas águas da Albufeira de Castelo de Bode” que passou grande parte da sua infância.

Desde cedo que criou um contacto com o universo do turismo, derivado da estalagem onde vivia. Com “muitas horas de estrada”, pelo mundo ou por Portugal, para Gabriel, viagens e fotografia, são a sua grande paixão.

Melhor Hotel em Portugal… “Prefiro não destacar nenhum hotel em particular, mas antes contar-vos que o meu tipo preferido de alojamentos são as unidades de turismo rural ou casas de campo. Quando passeio pelo país procuro sempre autenticidade, natureza e ambiente familiar em detrimento de locais mais agitados”.

Mangrove Lodge

Melhor Hotel no Estrangeiro… “O melhor alojamento em que estive no último ano foi o Mangrove Lodge, na ilha de Zanzibar, um ecoturismo perdido na floresta, com práticas sustentáveis e que apoia a comunidade através de várias iniciativas solidárias. Um refúgio natural maravilhoso”.

Melhor Restaurante no Estrangeiro… “Estive recentemente no Japão e fiquei fascinado com as tascas (izakayas) e restaurantes familiares. Um ficou-me na memória: o Takocho, em Kyoto. Só tem 12 lugares e um ambiente único. Só servem “oden” – legumes, tofu e ovos cozidos servidos num caldo quente de molho de peixe e soja. Uma delícia”.

Aya Bistrôt

Melhor Restaurante em Portugal… “Gosto de descobrir pequenas pérolas que, apesar das adversidades, conseguem fazer um bom trabalho. Um desses exemplos surpreendentes é o Aya Bistrôt, um restaurante de sushi perdido numa ruela da Cova da Piedade, em Almada. Apesar da localização e de ser tão pequeno consegue oferecer um sushi muito bom”.

Um vinho que aconselhe… “Sou mais de vinhos brancos. Gosto dos do Monte da Carochinha, do Monte da Ravasqueira e da Quinta da Lagoalva”.

Livro a não perder… “O meu género favorito é a literatura de viagem e talvez o meu favorito seja “O Comboio Fantasma para o Oriente”, em que o autor, Paul Theroux, relata uma viagem de comboio do Reino Unido ao Extremo Oriente. O resultado é uma obra que alia de forma perfeita a reportagem ao testemunho pessoal”.

Um filme memorável… “Quando me perguntam por um filme vem-me sempre à memória o Truman Show, com Jim Carrey, que está irrepreensível no papel de um homem que é uma estrela de televisão sem saber. Um filme que é uma crítica à nossa sociedade voyeurista e que já revi umas 10 vezes”.

Uma música que o tenha marcado… “«At Last», da Etta James. Foi a música que dancei com a minha mulher quando casámos há exatamente um ano”.

Artista/compositor preferido… “Atualmente posso considerar os The War on Drugs a minha banda de música preferida. Vi-os ao vivo o mês passado debaixo de muita chuva e frio, mas valeu a pena”.

Praia de Galapinhos

A praia da sua eleição… “As praias que mais gosto em Portugal são as da Serra da Arrábida, sobretudo fora da época turística. São as mais bonitas de Portugal quanto a mim”.

A melhor cidade do mundo… “A melhor cidade do mundo é sempre a nossa! No meu caso, Tomar. Lá fora, gostei de visitar cidades como Praga, Génova, Istanbul e Macau”.

A última viagem que fez… “Em janeiro fiz uma viagem de comboio de Lisboa a Istanbul, com passagem pela Espanha, França, Itália, Áustria, Hungria, Roménia e Bulgária. Quase um mês no inverno Europeu, com poucos turistas – perfeito”.

A próxima viagem que fará… “Será na altura do Natal, mas ainda não está decidido o destino. Gostava de ir a países como o Irão, Indonésia, Geórgia, Colômbia ou Mongólia”.

O que nunca se esquece de levar consigo quando viaja… “A câmara fotográfica, uns headphones (para o avião e noites mais barulhentas), um tablet com ebooks e um livro”.

Este artigo foi publicado na edição 314 da Ambitur.