As Escolhas de… Minervino Pietra

As Escolhas de… Minervino Pietra

Minervino José Lopes Pietra começou a dar os primeiros pontapés na bola no Belenenses, no início dos anos 70, tendo chegado à primeira equipa dos “azuis” do Restelo e da Seleção Nacional (totalizou 28 internacionalizações). Captou a atenção do Benfica, que o contratou na época de 1976/77, tendo permanecido de águia ao peito durante 10 temporadas, nas quais venceu o campeonato nacional em quatro ocasiões e outras tantas Taças de Portugal. Depois de pendurar as botas abraçou a carreira de treinador, tendo passado por diversos clubes como o Alverca, Estoril, Belenenses ou Boavista. No final dos anos 90 regressou ao Benfica como técnico-adjunto, cargo que viria a preencher novamente em 2009. Desde esse ano igualou a marca dos quatro campeonatos conquistados como jogador.

Robinson Club Quinta da Ria

Melhor Hotel Português… Robinson Club Quinta da Ria.
“Um resort luxuoso e discreto em plena Ria Formosa. Enquadrado numa paisagem idílica é ideal para umas férias de sonho”.

Melhor Hotel no Estrangeiro… Hotel La Réserve.
“Goza de uma localização privilegiada, com vista magnífica para o Lago Genève. Conta com todas as características de um verdadeiro cinco estrelas e tem um spa deslumbrante”.
Melhor Restaurante em Portugal… “Nunes Real Marisqueira, na zona de Belém. Seguramente um dos melhores restaurantes para degustar peixe, mariscos e não só… Prima pela qualidade superior dos produtos, cozinha fantástica e atendimento excelente. A não perder”.

Melhor Restaurante Estrangeiro… “El Mosquito, em Vigo. A funcionar deste os anos 30 do século passado, é um restaurante acolhedor e com uma cozinha apaixonante. Os petiscos são imperdíveis. Conta com uma seleção dos melhores mariscos do Atlântico mas as carnes não ficam atrás, além de ter uma garrafeira acima da média”.

Villa Oeiras

Um vinho que aconselhe… “Vinho de Carcavelos Villa Oeiras. Definitivamente o generoso que aconselho. Ideal para acompanhar uma entrada ou como aperitivo. Tem um sabor a frutos secos e uma cor bastante característica. Nos tintos escolheria o Quinta do Crasto”.
Livro a não perder… “‘A Arte da Guerra’, de Sun Tzu. É um tratado militar escrito durante o século IV a.C. com as mais diversas aplicações nos nossos dias. Bem compreendido pode dar-nos ferramentas importantes para melhorarmos as nossas aptidões e relações interpessoais”.
Uma música que o tenha marcado… “‘Earth Song’ de Michael Jackson. É um alerta que já tem alguns anos mas perfeitamente actual. O impacto do Homem no planeta é algo com que todos nos devemos preocupar e que está bem ilustrado nesta música e no teledisco”.
Um filme memorável… “‘A Vida é Bela’. Roberto Benigni realiza e dá corpo à dura realidade da Segunda Guerra Mundial. O papel valeu-lhe o Oscar de Melhor Actor num filme marcante, emotivo e que vê o flagelo da guerra pelos olhos de uma criança inocente”.
Artista/compositor preferido… “A escolha é difícil mas escolheria uma banda, um grupo de intérpretes e compositores que dá pelo nome de Pink Floyd. Juntos construíram um som que derrubou muros e apaixonou gerações. A música dos Pink Floyd vai para além do som; apela a todos os nossos sentidos e leva-nos para outros mundos. É uma viagem inesquecível”.

 

Praia do Cabeço

Praia da sua eleição… “Praia do Cabeço, em Vila Real de Santo António. Areal a perder de vista, águas tépidas e excelente apoio de praia”.
A melhor cidade do mundo… “Lisboa, sem dúvida. Sou ‘alfacinha’ de gema e adoro tudo nesta cidade, que para mim é das mais excitantes capitais europeias, com uma beleza natural única e segura. Para mim Lisboa está e sempre esteve na moda. Não posso deixar de referir a vila de Oeiras, que me adotou desde tenra idade. É um local excelente para viver e para momentos de lazer”.
A última viagem que fez… “Foi a Istambul, em trabalho. Não tive a oportunidade de conhecer a cidade em detalhe mas deu para ver que se trata de um local mágico, vibrante”.
A próxima viagem que fará… “Dortmund, também em trabalho. A minha profissão permite-me viajar por todo o mundo e esta cidade alemã é a próxima da lista. As cidades germânicas são conhecidas por combinarem tradição e modernidade e esta não deverá fugir à regra”.
O que nunca se esquece de levar consigo quando viaja… “O telemóvel é indispensável. As novas tecnologias permitem estar mais perto da família. O Facetime tornou-se na minha melhor ferramenta de viagem. Poder ver e ouvir a família quando estamos longe de casa é fantástico”.

Publicado na Edição 297 da Ambitur.