“As feiras da Abreu existem para vender e têm que ter produto”

“As feiras da Abreu existem para vender e têm que ter produto”

Esta foi uma das mensagens que Diamantino Pereira, director da Viagens Abreu, quis passar hoje num encontro com a imprensa sobre a Expo Abreu, mercado de viagens de inverno da Viagens Abreu. A segunda edição realiza-se este ano a 7 e 8 de novembro, no Pavilhão da 3 da FIL, em Lisboa, e para já promete o mesmo êxito do ano passado.
Como novidades, Graciosa e Santa Maria serão os destinos convidados desta edição, as empresas participantes poderão este ano personalizar os seus stands (em 2014 os stands eram todos iguais, apenas alterava em termos de dimensão) e haverá uma aposta reforçada no produto Neve.
Os principais patrocinadores mantêm-se – TAP, Royal Caribbean, Turismo de Portugal e Açores – e “todos aqueles que estiveram connosco em 2014 já confirmaram a presença este ano, o que é muito gratificante”, reconhece Diamantino Pereira.
Quanto ao produto, o responsável não poupa palavras para sublinhar que “uma feira sem produto é um insucesso garantido” e adianta que “as feiras da Abreu existem para vender e têm que ter produto”. É o que sucede nesta edição da Expo Abreu onde, garante, haverá mais produto este ano, nomeadamente charters para as Caraíbas este inverno, de operadores como a Soltour e outros.
Por outro lado, a Neve, que já foi uma aposta o ano passado, será reforçada em 2015, havendo já novas inscrições pois “as estações presentes ficaram impressionadas com o retorno”, esclarece Diamantino Pereira. “Queremos fazer da Expo Abreu um momento ideal para as pessoas reservarem as suas férias na neve”, explica.
Capa Expo Abreu 2015Combater a sazonalidade
No fundo, o director da Viagens Abreu explica que “queremos criar apetências no inverno”, havendo a noção de que o turismo em Portugal é muito sazonal, “algo que nos afecta profundamente pois temos uma estrutura que se mantém ao longo do ano, os nossos custos fixos são os mesmos”. Por isso foi criada a Expo Abreu, “porque existe uma necessidade enorme de vender e de combater de uma forma corajosa a baixa estação”, recorda.
Mas admite que isso é algo impossível de fazer sozinhos. Daí associarem-se a empresas que também têm este problema, como os hotéis, as companhias aéreas e os operadores turísticos, para “em conjunto tentarmos captar clientes e despertar apetências para tirar as pessoas de casa”.
Nos dois dias da Expo Abreu 2015, estarão ainda abertas 90 lojas espalhadas pelo país. A oferta da feira termina a 30 de março, para não interferir ao Mundo Abreu, que se realiza em abril.

Inês Gromicho