As sete previsões da Booking para o regresso triunfal das viagens em 2022

As sete previsões da Booking para o regresso triunfal das viagens em 2022

A forma como viajamos foi redefinida no último ano e meio, com mudanças drásticas que nos levam para uma “nova normalidade” que não deixa de evoluir. Uma relação cada vez mais profunda e complexa com a tecnologia e uma maior consciência do impacto da atividade humana no planeta fizeram com que o mundo pareça cada vez mais pequeno e, também extraordinariamente grande. E embora a Covid-19 ainda não tenha ficado para trás, está a começar a a surgir uma intensa sensação de esperança.

Para explorar esta vaga de otimismo, a Booking.com realizou um estudo exaustivo com mais de 24 mil pessoas que viajam de 31 mercados e combinou os resultados com os seus dados dos últimos 25 anos, para prever como vão continuar a redefinir-se as viagens no próximo ano.

2022 será um ano para tirar o máximo partido da imprevisibilidade e começar a recuperar o tempo perdido das férias, já que o número de viajantes que sentem que têm que o fazer aumentou 52% desde o ano passado.

As previsões da Booking.com revelam como o próximo ano será reanimado com as viagens. Seja como parte essencial de um plano pessoal ou pela emoção de dizer sim a qualquer oportunidade de viajar ou experiência, a ideia será aproveitar cada dia de 2022 e fazer com que todas as viagens contem.

1. Vitamina Férias
Mais do que o exercício físico diário ou a meditação, ir de férias será uma forma de cuidarmos de nós em 2022: três quartos (74%) afirma que viajar contribui para ajudar o seu bem-estar mental e emocional mais do que outras formas de descanso. Depois de mais de um ano de restrições, os benefícios que viajar tem na saúde e no bem-estar estão agora a ser reconhecidos, com quase dois terços (63%) a dizerem que não perceberam até que ponto viajar era importante para o seu bem-estar até isso deixar de ser uma opção, e 80% a afirmarem que planear férias tem um impacto positivo no seu bem-estar emocional.

Mas afinal o que faz das viagens uma forma ideal de cultivar o bem-estar? Para mais de um quarto (28%) sair da sua zona de conforto é a chave para recarregar baterias ao viajar. Desses 28%, dois terços (64%) dizem que estar num local com uma paisagem diferente os ajuda a renovar energias, enquanto que para quase metade (47%) trata-se de experimentar uma nova forma de viver. Para muitos, trata-se de experimentar novas gastronomias (64%) ou ouvir uma nova língua (37%) que os ajudam a sentir-se rejuvenescidos.

2. Escritório (em casa) fechado para férias

Com a pandemia, as casas de todo o mundo transformaram-se também em escritórios e a novidade do teletrabalho tornou-se realidade. Contudo, em 2022, a Booking acredita que veremos um aumento expressivo do número de pessoas que quer voltar a assumir o controlo reestabelecendo um equilíbrio saudável entre trabalho-vida pessoal já que as férias estarão totalmente livres de trabalho para três quartos dos inquiridos (72%) em 2022, o que nem sempre aconteceu em 2021

Apesar da flexibilidade de trabalhar à distância, 68% das pessoas preferiria passar menos tempo de férias se isso significasse que poderiam desconectar-se por completo em 2022, versus passar mais tempo num destino combinando trabalho e lazer.

3. Sensação da primeira vez para tudo

Embora muitas pessoas tenham esquecido onde colocaram o passaporte ou como se faz uma mala, toda essa estranheza de viajar dará lugar a uma sensação de prazer genuíno até pelos aspetos mais rotineiros das viagens em 2022. Lembra-se do que sentiu ao embarcar num avião pela primeira vez? Ou ao fazer check-in num hotel? Depois de uma sensação de “estagnação” muito prolongada, quem viaja saboreia cada momento, desde preparar uma lista de músicas para ouvir no automóvel alugado até pesquisar as novidades no duty free: 21% deseja mais experimentar a ilusão e a antecipação antes de uma viagem.

Coisas que anteriormente eram consideradas banais, como sonhar acordado junto à janela do comboio ao ver a paisagem passar ou perdermo-nos num labirinto de ruas para levantarmos a chave do apartamento que alugámos, serão agora sinónimo de felicidade para três quartos dos inquiridos.

Cada uma dessas “primeiras vezes” das nossas viagens em 2022 será um momento para saborear: a maioria dos inquiridos afirmam que os prazeres mais simples como sentir o sol na pele (80%) ou contemplar uma massa de água (80%), faz com que o seu humor melhor imediatamente. Incluindo a incerteza de deslocarem-se de transportes públicos numa cidade nova e num idioma estrangeiro é algo que dois terços (61%) afirmam que vão desfrutar. Depois de um período tão extenso de opções limitadas, recuperar a sensação de uma primeira vez e desfrutar cada momento será um selo distintivo nas viagens em 2022.

4. A comunidade local em primeiro lugar

As restrições fizeram com que as viagens abrandassem em muitas partes do mundo, pelo que a pandemia nos forçou a tirar o máximo proveito do que tínhamos ao nosso alcance. Desde apoiar negócios independentes a passar mais tempo do que nunca num parque do bairro, a nossa relação com a comunidade que nos rodeia voltou a ganhar vida.

Em 2022, a Booking.com diz que este desejo de nos conectarmos com a comunidade local também vai continuar a existir nas férias: queremos ser mais conscientes de cada viagem que fazemos e assegurar-nos de que o nosso impacto nos lugares que visitamos e nas pessoas que ali vivem seja positivo.

Mais de metade das pessoas (65%) estão de acordo em que é importante que a sua viagem seja positiva para a comunidade do destino, e 55% gostaria de ter uma app ou um site com recomendações sobre destinos onde o aumento do turismo teria um impacto positivo na comunidade local.

Além disso, 72% querem que o dinheiro que gastam nas viagens se repercuta na comunidade local e 76% querem ter experiências autênticas que sejam representativas da cultura local.

5. Carregar o feed com novos lugares e rostos

Para muitos, a pandemia significou passar um longo período de tempo com os amigos mais próximos e familiares mais queridos, mas as férias de 2022 serão uma oportunidade para se abrirem e estabelecerem novas ligações

Dois terços (60%) querem conhecer gente nova enquanto estiverem fora, pelo que é previsível que quem viaje aproveite as férias para expandir os seus círculos sociais habituais. 64% de quem participou no estudo espera socializar enquanto estiverem de férias e 48% querem ficar num local perto de muitas opções de entretenimento noturno para poderem conhecer pessoas novas.

6. Dizer sempre «sim»
Depois de tanto tempo com um «não» como resposta, as pessoas reclamam por uma forma de pensar mais positiva para 2022. 71% vão preferir umas férias flexíveis que lhes permitam fazer o que querem em cada momento, em vez de terem um itinerário planeado e cheio de atividades.

Quase três quartos (73%) afirmam que dirão «sim» a qualquer oportunidade de fazer férias se o orçamento o permitir e para 45% que pouparam ao não realizarem grandes viagens desde o início da pandemia, o dinheiro não será um problema para viajar em 2022.

Mais de dois terços (65%) têm uma mentalidade mais aberta a diferentes tipos de férias do que antes da pandemia e 70% não se preocupam onde vão de férias desde que seja o tipo de férias que querem, simplesmente estão felizes por poderem estar longe de casa.

Em 2022 a tecnologia desempenhará um papel-chave em termos da espontaneidade, já que oferece mais opções para reservar na hora e a flexibilidade de adaptar os planos e ir onde a aventura chamar. 56% espera que entre as últimas inovações na tecnologia de viagens se ofereça uma opção «surpresa» totalmente nova, de acordo com as suas preferências.

7. Aceitar o imprevisível

A imprevisibilidade continuará a estar presente nas viagens em 2022. Embora não possamos mudar nem prever cada surpresa ou desafio que o destino nos prepare, vamos aceitá-los.

Confiámos na tecnologia de várias formas para manter a ligação e a inspiração ao longo dos últimos meses. E as nossas apps preferidas vão continuar a ajudar-nos a lidar com a imprevisibilidade das viagens: quase dois terços (57%) dizem que a tecnologia os ajuda a aliviar a ansiedade que viajar pode provocar.

A tecnologia vai continuar a facilitar os possíveis imprevistos com cada vez mais subtileza e proatividade. Por exemplo, com serviços de tradução instantânea com inteligência artificial para negociar alterações de última hora diretamente com o alojamento ou rent-a-car quando não se fala o mesmo idioma, ou modelos de aprendizagem automática que informam sobre uma chegada tardia devido a voo atrasado.

Por este motivo, a Booking.com espera ver uma adoção ainda mais ampla das tecnologias de previsão que podem ajudar quem viaja a tomar decisões mais informadas, especialmente tendo em conta que dois terços se mostram interessados num serviço inovador que possa prever para que países é seguro viajar (70%), inclusivamente com meses de antecipação, ou sugerir automaticamente destinos para os quais é fácil viajar agora em função dos requisitos atuais da Covid-19 do seu país e do destino (64%).

Independentemente de quão precisas podem ser estas previsões, para que realmente abracemos uma nova normalidade imprevisível, a indústria das viagens em geral vai continuar a priorizar a flexibilidade, já que não perder dinheiro (41%), poder cancelar (37%) e poder reprogramar sem custos (25%) são as três principais prioridades.

José Melo, Regional Partner Services Manager para Espanha e Portugal da Booking.com, explica que “olhando para o próximo ano, vemos muita ilusão e expectativa de voltar a viajar, seja a nível nacional ou internacional, para fazer uma viagem de sonho ou simplesmente dizer «sim» a qualquer oportunidade de viajar que se coloque. E a nossa missão é fazer precisamente com que iso seja mais fácil para todos”.