BelugaXL da Airbus já inicou operações

BelugaXL da Airbus já inicou operações

Categoria Business, Transportes

O BelugaXL já começou a operar, dando à Airbus mais “30% de capacidade de transporte para apoiar o aumento contínuo da programas de aviões comerciais”, refere uma nota enviada à imprensa. O aparelho, que é parte integrante do sistema industrial da Airbus, fez o seu primeiro voo operacional a 9 de janeiro.

Este é o primeiro de seis BelugaXL a começar a operar ao lado dos antecessores do BelugaST, com os aviões adicionais a serem introduzidos entre 2020 e 2023. Lançado em novembro de 2014, a entrada ao serviço significa para a Airbus “mais uma conquista bem-sucedida” do programa interno de aviões que recebeu a “Certificação Tipo” da Agência Europeia para a Segurança da Aviação em novembro 2019, depois de uma bateria de testes de voo intensiva que levou o BelugaXL concluir mais de 200 testes com mais de 700 horas de voo.

Com 63 metros de comprimento e 8 de largura, o BelugaXL tem a maior secção transversal do compartimento de carga de todos os aviões do género a nível mundial. O avião pode transportar duas asas do A350 XWB, mais uma que o BelugaST. Com uma carga útil de 51 toneladas, o Beluga XL tem um alcance de 4 mil quilómetros.

O BelugaXL é baseado no A330-200 Freighter, permitindo a reutilização de componentes e equipamentos existentes e é alimentado por motores Rolls Royce Trent 700. O cockpit rebaixado, a estrutura do compartimento de carga e a traseira e cauda foram desenvolvidos recentemente em conjunto com parceiros, dando ao aparelho uma aparência distinta.

Esta aeronave é a última adição ao portfólio de transporte da Airbus. Embora o transporte aéreo seja o principal método para transportar grandes componentes de aviões, a Airbus usa também o transporte rodoviário, ferroviário marítimo para mover as peças entre os seus locais de produção. Como o BelugaST, o BelugaXL vai operar para 11 destinos na Europa, continuando o fortalecimento das capacidades industriais e permitindo à Airbus executar os seus compromissos.

Foto cedida pela Airbus