Centro de Inovação do Turismo avança “se houver interesse dos empresários”

Centro de Inovação do Turismo avança “se houver interesse dos empresários”

Este é o repto lançado pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, no discurso de encerramento do 28º Congresso Nacional da Hotelaria, que decorreu em Porta Delgada. De acordo com a responsável, Portugal tem condições para liderar o turismo do futuro, sendo assim agora “é tempo e o momento em que podemos todos inovar, criar dinâmica e promover o país, por que não lançar um Centro de Inovação do Turismo?”. Para a secretária de Estado do Turismo, se houver interesse por parte dos empresários, este será uma realidade, com o apoio do Turismo de Portugal. Questiona ainda a responsável por que não pôr, desta forma, “a inovação ao serviço das empresas tradicionais? Aproveitar as soluções das startups por parte das empresas tradicionais do setor”. Se o repto for aceite, Ana Mendes Godinho indica estar “disponível e serei a primeira a ajudar a montar o projeto, para que este centro aconteça”.

A governante indica ainda que, até final do ano, estará definida a estratégia a 10 anos para o turismo nacional. “O Turismo 2027 será aprovado até ao final do ano e pretende traçar um trajeto comum com todos os agentes do setor. Será necessário estabilizarmos um caminho de compromisso entre todos e que seja uma estratégia que beneficie a discussão no próximo Quadro Comunitário”, sublinha.

Durante a sua intervenção, Ana Mendes Godinho também desafiou os hoteleiros a considerarem que, na Portaria da Classificação Hoteleira, “passemos a ter uma área dedicada aos recursos humanos, no sistema de classificação dos empreendimentos turísticos”.

Relativamente à linha de qualificação da oferta no âmbito do Turismo de Portugal, a responsável deu conta que ,dos 60 milhões de euros, metade já está executada, sendo que a este ritmo esta linha será totalmente utilizada no próximo ano e, caso isso aconteça, a mesma será reforçada financeiramente.

A responsável também espera que reativação do instrumento financeiro do Turismo de Portugal relativamente ao Capital de Risco e Imobiliário se faça sentir junto aos empresários e empresas em 2017.

Quanto ao PT2020, Ana Mendes Godinho indica que o “Turismo de Portugal voltou a ser uma entidade pagadora, tendo atualmente 145 projetos turísticos pagos”, representando 326 milhões de euros de investimento em projetos turísticos.

Ao nível da promoção, a secretária de Estado do Turismo adiantou que o Turismo de Portugal está já a preparar uma campanha para o mercado britânico com incidência no Brexit.

No que diz respeito à formação, a oradora anunciou que o Turismo de Portugal propõe uma ótica diferente: dar formação diretamente nos hotéis.

Pedro Chenrim, em Ponta Delgada