Centro de Portugal: Os sabores que nos conquistam

Categoria Destinos, Explore

Podíamos ter escolhido a mística das Aldeias Históricas ou os segredos da Beira Baixa para lhe falarmos sobre o Centro do país. Podíamos ainda levá-lo à cultura de Coimbra e mesmo às praias do Oeste. Mas optámos por “prendê-lo” pelos sabores que a esta região estão associados, e são muitos. Seguimos algumas dicas do melhor blogger de turismo da Europa em 2014, Nelson Carvalheiro, bem como dos presidentes das autarquias do Fundão e de Peniche. Deixe-se conquistar…

A doçaria conventual de Alcobaça, as cerejas do Fundão, o bacalhau de Ílhavo e os queijos da Serra da Estrela são algumas especialidades de eleição da Região Centro de Nelson Carvalheiro. Blogger de profissão e natural de uma aldeia da Marinha das Ondas, Figueira da Foz, este profissional entende que para explorar os lugares, os sabores, os vinhos e as pessoas desta região devem ser reservadas pelo menos duas semanas.

Nesta sua “Center of Portugal Food Journey”, o também vencedor do “Travel Blogger Europeu” em 2014 e do “FITUR World Travel Blogger” em 2015, integra a caldeirada de Peniche, “copiada” pelos franceses e vendida em França como “bouillabaisse” e o peixe proveniente da arte xávega da Praia da Leirosa e de outras praias do litoral centro. De passagem pelo Centro, há que aproveitar ainda a experiência da caça: “saborear um peixe que acabámos de pescar ou ter a hipótese de comer costeletas de javali grelhadas a carvão, depois de uma espera nocturna na Pampilhosa da Serra” são aventuras que Nelson Carvalheiro recomenda. A acompanhar deve estar um “espumante branco português da bairrada com infusão de bagas de zimbro”.O mel de ouro de Vila de Rei é mais um dos segredos a descobrir antes que o produto “seja descoberto por algum magnata russo ou por chefes de restaurantes com estrela Michelin”, uma realidade que Nelson não descarta.

 

Assumidamente apaixonado pela gastronomia portuguesa, Nelson Carvalheiro, afirma que “o Centro junta o melhor de Portugal numa região só”. “Temos excelentes vinhos e produtores, praia, montanha, cultura e herança patrimonial. Aqui as gentes são simples e fieis à sua portugalidade, pois ao contrário de outros destinos não houve tanta intervenção estrangeira. Aqui sabemos que o pequeno hotel ou restaurante é 100% português”, assevera.

Leia mais na edição 281 da Ambitur.