Centro de Portugal volta a superar a fasquia de meio milhão de dormidas

Centro de Portugal volta a superar a fasquia de meio milhão de dormidas

Em junho, o Centro de Portugal confirmou a tendência de crescimento dos últimos meses e registou, pelo segundo mês consecutivo, mais de meio de milhão de dormidas. Os dados estão no relatório mensal da atividade turística publicado esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O mesmo relatório revela, também, uma subida evidente em todos os indicadores, apesar de ter sido um mês marcado pelo incêndio de Pedrogão Grande, indica o Turismo Centro de Portugal, em comunicado.

Segundo o INE, em junho, o Centro de Portugal registou um total de 536.447 de dormidas, mais 14,04%, na comparação com o período homólogo de 2016. Uma tendência de crescimento que foi transversal às restantes regiões do país: + 18,59% Açores, + 11,37% Alentejo, + 10,30% Lisboa, + 8,0% Norte, + 5,61% Algarve e +3,76% Madeira. Ou seja, o Centro de Portugal foi a segunda região do país que mais cresceu em número de dormidas em junho de 2016, mais 6,06% do que a média nacional.

Nos dados do INE, igualmente destaque para o número de dormidas de visitantes estrangeiros: 287.457, mais 27,97% em relação a junho de 2016. Números excelentes que revelam uma curiosidade: no mês que fechou o semestre, o número de dormidas de estrangeiros superou o de turistas nacionais em 38.467 dormidas.

Não menos importante, a clara evolução nas receitas provocadas pelo aumento da procura, com o Centro de Portugal a registar mais 24,3% nos proveitos totais, para 25,2 milhões de euros, e mais 6,09% no indicador do rendimento médio por quarto.

Em junho de 2017, a estada média no Centro de Portugal foi de 1,75 noites, mais uma décima do que a registada em maio e sensivelmente o mesmo valor do mês homólogo de 2016.