Congresso da AHP permitirá reflectir o caminho a seguir na hotelaria

O 26º Congresso da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que se realiza de 19 a 21 de Outubro, em Braga, sob o tema “Re.evolução – a força de recomeçar!”, resume-se, de acordo com Luís Veiga, presidente da AHP, na mensagem do último painel do encontro: Repositioning, remarketing, repricing,rebuilt, rebalance e restarting.

Num encontro realizado ontem com os jornalistas, no Hotel Valverde Lisboa, o responsável afirmou que a &hotelaria tem que pensar sobre aquilo que está a acontecer, sobre o que vai acontecer, ou seja, as tendências, e por isso vamos ter a responsável pelo site “trendwatching.com”. Portanto, é repensar tudo de novo&. Dialogar sobre questões que continuam a prejudicar a hotelaria nacional, como a questão do IVA, &que está sempre presente&, ou os custos das portagens e as novas ofertas em termos de alojamento que estão a aparecer.

Segundo Luís Veiga, o Congresso permitirá reflectir o caminho a seguir na hotelaria nacional para ser competitiva em diversos domínios, desde o financiamento ao marketing digital& passando por um dos temas &que é muito sensível que é a questão da restauração na hotelaria&. Este ano, o Congresso realiza-se em Braga, pela primeira vez, e espera reunir cerca de 400 participantes. “O Santuário do Bom Jesus candidatou-se a Património da Humanidade, portanto, há aqui uma oportunidade de Braga se posicionar ao lado de Guimarães como uma das zonas culturais mais importantes do Norte, e sobretudo, tem um grande envolvimento com a Galiza naquele que é o projecto  Porto e Norte e a Galiza. É uma oportunidade também para o Norte se mexer, se mostrar e dialogar e mostrar o que tem para oferecer”, lembra o responsável.

 

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, lembrou a importância do primeiro painel, dedicado ao mercado interno (Revitalizar o mercado interno), que conta com a presença de Adolfo Mesquita Nunes, Secretário de Estado do Turismo. “Neste momento, no primeiro semestre em Portugal, o turismo interno representou 42% dos hóspedes e 30% das dormidas. De facto, não há países maduros que não tenham um forte turismo interno e este tem relevância para Portugal, mais ainda no Norte, onde o Congresso se vai realizar”.

 

Já Rodrigo Machaz, director geral do Memmo Hotels e membro da comissão da organização do evento, destaca o tema das redes sociais, discutido no painel IV (“Os desafios do mundo das redes sociais”). “Acho que há excesso de expectativa no que as redes sociais podem dar à hotelaria”, afirmou o responsável, acrescentando que, o contributo de Gustavo Zaiantchick que vem apresentar a ferramenta “Scup” que permite aos hoteleiros saberem o que se diz nas redes sociais sobre as suas unidades.

 

O painel VII, sob o tema “Re.evolução – a força de recomeçar”, contará com a presença de Pedro Luz, proprietário dos Apartamentos Brown´s. O congresso encerra com um workshop extra subordinado ao tema “O que há de novo no financiamento do Turismo?”, moderado por Frederico Costa e onde marcarão presença responsáveis do Turismo de Portugal.

Raquel Pedrosa Loureiro