Conselheiro Ambitur: “Com os atuais  volumes de faturação é impossível manter a dimensão atual de uma grande maioria”

Conselheiro Ambitur: “Com os atuais volumes de faturação é impossível manter a dimensão atual de uma grande maioria”

As dificuldades em lançar previsões sobre os próximos meses são muitas mas Ambitur.pt procurou saber o que, mesmo assim, é possível antecipar. Vítor Filipe, presidente da TQ Travel Quality e Conselheiro Ambitur, deixa-nos as suas respostas, e partilha connosco ainda um comentário sobre o recém-empossado presidente da TAP, Ramiro Sequeira.

O que os próximos meses poderão significar para o negócio turístico nacional e para as suas empresas?
Os meses que se aproximam provavelmente vão confirmar a continuação da estagnação do negócio turístico nacional. No caso específico das agências de viagens, depois de uma muito ténue retoma em agosto, voltamos a manter uma quebra na ordem dos 90%, o que não augura nada de bom até ao final do corrente ano.

Neste contexto, há capacidade de se começar a planear 2021?
No atual contexto é muito complicado começar a planear 2021, contudo penso que no final de novembro tal terá que ser feito. Vamos entrar numa nova fase que é a restruturação das empresas, a redução de quadros, e os despedimentos por muito que nos custe vão ser inevitáveis. Com os atuais volumes de faturação é impossível manter a dimensão atual de uma grande maioria.

Que cautelas se devem ter em conta na preparação das operações turísticas de 2021?
O planeamento das operações turísticas vai ser um navegar à vista. Todas as semanas a evolução da pandemia se altera, como ultimamente a mesma tem evoluído drasticamente de uma forma negativa. São restrições sobre restrições, e por aí fora.

Resumindo, é fundamental estar atento, tomar decisões com muita cautela e praticamente em cima dos acontecimentos.

O estado financeiro das empresas será fundamental para o seu posicionamento futuro; será este um trunfo perante a concorrência?
O estado financeiro das empresas é fundamental para continuarem a sua atividade em termos de futuro. Aqueles que tiveram cuidado na gestão das mesmas ao longo de anos, apesar de todos os problemas que atravessam, têm mais possibilidade de sobreviver. A dimensão das empresas será mais reduzida. Como tem sido anunciado em algumas previsões, só em 2024 regressamos aos números de 2019. Quem tiver capacidade para resistir pode ganhar dimensão pois muitas empresas vão ficar pelo caminho. Uma das opções que será importante ponderar, será a fusão de sociedades que tenham resistido a esta catástrofe económica que atravessamos.

Haja fé e esperança, pois esta situação não é certamente eterna.

Nota de Atualidade TAP: “Em 53 anos de profissão conheci muitos gestores que passaram pela TAP. A gestão que reputo de mais incompetente e ruinosa foi a de Antonoaldo Neves, certamente cumprindo ordens do seu patrão David Neeleman. Aguardemos o que vai ser com Ramiro Sequeira, um recente quadro da companhia. Espero que não hostilize o seu maior cliente, as «Agências de Viagens». As funções que desempenhei no setor, levam-me contudo a fazer uma chamada de atenção a quem decide. Espero que sejam integrados na nova administração gente competente que já acompanhou em cargos importantes, Fernando Pinto e Luiz Gama Mor, pessoas que sabem a importância que representam as «Agências de Viagens» para a companhia e país. Boa sorte é o meu desejo para o empossado presidente executivo”.

Nota: A Ambitur conta, desde março de 2020, com um conjunto de Conselheiros que partilham connosco as suas visões sobre questões da atualidade no setor do Turismo. Os nossos Conselheiros Ambitur são, neste momento: Jorge Rebelo de Almeida (CEO da Vila Galé), José Theotónio ( presidente da comissão executiva do Pestana Hotel Group), Manuel Proença (presidente do Grupo Hoti Hotéis), Miguel Quintas (CEO do Consolidador.com), Frédéric Frère (CEO da Travelstore), Vítor Filipe (presidente da TQ Travel Quality e ex-presidente da APAVT), Raul Martins (presidente da AHP e do conselho de administração do Grupo Altis), Francisco Teixeira (CEO da Melair Cruzeiros), Luís Alves de Sousa (sócio gerente do Hotel Britania e ex-presidente da AHP), Bernardo Trindade (administrador do PortoBay Hotels & Resorts e ex-secretário de Estado do Turismo), José Lopes (diretor da easyJet em Portugal) e Eduardo Jesus (secretário Regional de Turismo e Cultura da Madeira). Em breve irão juntar-se a este painel mais um conjunto seleto de Conselheiros.

Inês Gromicho