#ConselheiroAmbitur: “O mais importante hoje é confiança e transmitir essa confiança aos mercados e parceiros”

#ConselheiroAmbitur: “O mais importante hoje é confiança e transmitir essa confiança aos mercados e parceiros”

O turismo está a querer retomar gradualmente mas a situação no país, e a nível mundial, permanece difícil para este setor. Ambitur.pt volta a ouvir alguns Conselheiros Ambitur sobre a atual situação. José Theotónio, presidente da comissão executiva do Pestana Hotel Group, responde às nossas questões.

Se as acessibilidades eram, há dois meses, apontadas como a pedra de toque da retoma da atividade turística, hoje, com ligações a começar a ser repostas, a questão coloca-se no consumidor?
As acessibilidades só terão alguma expressão a partir de julho, mas concordo que o fundamental passará pela confiança que os consumidores terão, primeiro em viajar de avião e depois numa estadia num estabelecimento hoteleiro. Daí a importância das unidades hoteleiras terem procedimentos bem definidos, colaboradores com boa formação nesses procedimentos, certificações nacionais e internacionais e auditorias de qualidade regulares. É nesse sentido que estamos a trabalhar no Pestana Hotel Group para Hotéis, Resorts e Pousadas.

Considera que se vive um tempo de imprevisibilidade?
A gestão hoje é praticamente dia a dia, e um pequeno acontecimento ou notícia pode alterar por completo o enquadramento. Por isso a imprevisibilidade é máxima.

A imprevisibilidade perante o comportamento do consumidor passou a dominar o setor?
A imprevisibilidade não é tanto perante o comportamento do consumidor, mas muito mais sobre o enquadramento global dos destinos e a perceção que se tem de cada um desses destinos. Em relação ao consumidor sabemos o que quer: ter uma boa experiência de férias em segurança. Para isso está disposto a mudar comportamentos, mas quer usufruir de piscinas, praias e das áreas de restauração e bar, sabendo que para ter a segurança que deseja, há procedimentos novos a respeitar.

O que é possível, em que vetores se pode atuar, para mitigar esta questão?
O mais importante hoje é confiança, criar as condições para que essa confiança seja real e saber transmitir essa confiança aos mercados e parceiros

O que os destinos nacionais podem fazer neste contexto?
Temos destinos em que praticamente a pandemia passou ao lado, outros nem tanto. No curto prazo, é preciso divulgar que destinos de férias de verão como o Algarve, Açores e a Madeira e Porto Santo são praticamente destinos Covid Free onde é seguro fazer férias, que têm operadores turísticos que implementaram e cumprem todas as normas de segurança, e onde há infraestruturas, designadamente na área da saúde, com capacidade de dar uma resposta eficaz no caso de surgir algum problema aos turistas que nos queiram visitar.