COVID-19: Ryanair cancela mais voos para Itália até ao dia 8 de abril

COVID-19: Ryanair cancela mais voos para Itália até ao dia 8 de abril

Categoria Business, Transportes

A Ryanair anunciou esta segunda-feira em comunicado novos cancelamentos na programação de voos de e para Itália e dentro do território italiano. Segundo a companhia estes cancelamentos devem-se aos “bloqueios de viagens imposto pelo Governo Italiano durante o passado fim-de-semana” de e para a Zona Laranja no Norte de Itália, para além das restrições de voos impostas por vários países da União Europeia (Eslováquia, República Checa, Hungria, Malta, Roménia) que restringem os voos de e para o Norte de Itália com efeito imediato.

As novas suspensões resumem-se da seguinte forma:

  • Desde a meia-noite (24.00) de 10 de março até à meia-noite (24.00) de 8 abril, a Ryanair suspenderá todos os voos domésticos italianos de e para Bergamo, Malpensa, Parma e Treviso.
  • Desde a meia-noite (24.00) de 12 de Março até à meia-noite (24.00) de 8 abril, a Ryanair reduzirá os voos internacionais de e para Bergamo, Malpensa, Veneza, Parma, Rimini e Treviso. Apenas serão operados voos às sextas-feiras, sábados, domingos e segundas-feiras. As rotas com várias frequências diárias (por exemplo Stansted – Malpensa) reduzem-se a 1 voo diário em cada um dos dias (sexta-feira, sábado, domingo e segunda-feira). Embora o tráfego para o Norte da Itália tenha sofrido um grande número de “no shows” durante a semana passada, milhares de visitantes não-italianos encontram-se atualmente na Lombardia e em outras regiões afetadas e devem regressar a casa. Neste sentido, a Ryanair continuará a operar numa programação reduzida de 4 dias de e para o Norte da Itália para repatriar estes cidadãos não-italianos.

A Ryanair realça no mesmo comunicado o cumprimento das orientações da OMS e do Governo nacional, além das restrições de viagens. A situação está a “mudar diariamente e todos os passageiros com voos afetados pelas restrições ou cancelamentos de viagens estão a ser notificados por e-mail e recebem transferências de voos, reembolsos totais ou créditos de viagem”. Já os passageiros que não receberam notificação por e-mail, “devem ter em consideração que os seus voos não sofreram alterações”, avança a companhia.