Custos de contexto prejudicam investimento internacional em Portugal

Categoria Advisor, Associativismo

Os custos de contexto continuam a ser um dos grandes entraves para o investimento internacional em Portugal. De acordo com José Teothónio, CEO do grupo Pestana, que falava no Congresso da AHP, à margem do painel “Investir no turismo em Portugal”,  “às vezes, Portugal com os custos de contexto fica com a operação mais cara”. Para o responsável, “há pouco investimento internacional em Portugal se calhar porque quem está no mercado internacional e tem a possibilidade de escolher diferentes destinos quando faz as contas, vê que Portugal não tem assim um ambiente tão favorável do ponto de vista de ser friendly para o investidor”.

No campo dos constrangimentos ao investimento em Portugal, e a juntar aos custos de contexto estão, na opinião de Chitra Stern, administradora do Martinhal Hotels & Resorts, a sazonalidade e os problemas relacionados com a formação. Para a responsável, “o investimento da ANA na região tem sido positivo”, no entanto, os resultados deste tipo de investimento só se refletem a longo prazo. Ainda assim, a responsável adianta que, ainda que muito pequeno, tem havido crescimento no inverno de ano para ano.

No que diz respeito à formação, há que investir mais.  “Se vamos ter um crescimento no turismo, temos que incentivar estudantes e jovens para que eles saibam que este é um bom setor para trabalhar”, afirmou a responsável, acrescentando que no verão continua a ser difícil encontrar staff.

Na mesma ocasião, Chitra Stern anunciou que a marca Martinhal se irá expandir para Lisboa com a abertura de duas novas unidades.

Leia o artigo completo na próxima edição da Ambitur.

Raquel Pedrosa Loureiro