easyJet reinventa o futuro do recrutamento de mulheres piloto com nova campanha 

easyJet reinventa o futuro do recrutamento de mulheres piloto com nova campanha 

Categoria Business, Transportes

A easyJet acaba de lançar uma campanha que pretende inspirar mais raparigas a tornarem-se pilotos de linhas aéreas. Numa curta-metragem de recrutamento lançada hoje, a companhia aérea reinventou a famosa cena do filme de Hollywood “Catch Me If You Can”, onde Leonardo DiCaprio se fazia passar por um piloto de alto voo num aeroporto.

A easyJet surpreendeu os seus passageiros no aeroporto de Southend, em Londres, ao recriar a famosa cena com um elenco de crianças, entre cinco e nove anos de idade, colocando uma menina na frente e no centro. Ao re-filmar a cena do filme, a easyJet espera retificar equívocos transmitidos por filmes de Hollywood como “Top Gun”, “The Aviator” e “Flyboys”, de que ser piloto é para os homens.

A liderar o elenco estava Hannah Revie, de 9 anos, filha da comandante da easyJet, Emily Revie. Na curta-metragem (apelidada de “Catch Up, If You Can”), Hannah adotou a arrogância de DiCaprio no uniforme da easyJet e foi acompanhada por uma comitiva de meninos, recriando o papel da tripulação de cabine, apropriadamente interpretada por crianças da equipa da easyJet, para inspirar os jovens a seguir uma carreira de piloto.

O truque publicitário foi inspirado pelos resultados surpreendentes da pesquisa da easyJet. A companhia aérea entrevistou mais de 500 pilotos da easyJet tendo descoberto que, quando crianças, os meninos eram mais propensos do que as meninas a considerar uma carreira como piloto. Mais de metade (55%) dos pilotos do sexo masculino sabiam que queriam seguir esta profissão aos 10 anos de idade. As mulheres estavam menos entusiasmadas, já que apenas metade (50%) só pensava na carreira quando tinha 16 anos – ou até mais. Surpreendentemente, mais de um quinto (22%) dos pilotos do sexo masculino já eram vendidos no emprego aos cinco anos de idade.

Chris Browne, diretor de operações da easyJet, elucida que: “Está claro, na nossa pesquisa, que a mudança de perceções e ambições para as mulheres começa na escola. Queríamos criar uma cena divertida, mas instigante, sobre essa famosa cena cinematográfica, para inspirar mais raparigas a seguirem esta carreira gratificante. Esperamos que a nossa campanha inspire uma nova geração de pilotos, desafie os estereótipos de género e encoraje mais mulheres a atravessar os céus.”

A pesquisa da easyJet veio demonstrar que modelos positivos de infância, como estrelas de televisão e cinema, membros da família, e reuniões com pilotos reais, eram vitais para inspirar os jovens a considerar a carreira e, como tal, a companhia aérea pretende continuar a sua campanha para aumentar a visibilidade dos pilotos fora dos aeroportos. Desde o lançamento da iniciativa Amy Johnson Flying, os pilotos da easyJet visitaram mais de 150 escolas e faculdades para promover a carreira.

A easyJet pretende encorajar novos talentos no cockpit para diminuir o desequilíbrio de género da indústria através da sua iniciativa Amy Johnson, que foi lançada em 2015. A iniciativa tem sido associada a um influxo de talentos femininos para a companhia aérea, tendo os novos inscritos na easyJet crescido de 6% (2015) para 13% (2017). A easyJet estabeleceu a meta de que 20% dos novos pilotos a ingressar na companhia aérea, até 2020, sejam mulheres, quando apenas 5% dos pilotos, em todo o mundo, são do sexo feminino, conforme referido pela International Society of Women Airline Pilots.

A mãe de Hannah, a comandante da easyJet, Emily Revie, que vem de quatro gerações de pilotos e também participa do filme, referiu que: “Quando eu estava na escola, ser piloto era definitivamente uma carreira para os meninos e disseram-me para pensar no que eu gostaria verdadeiramente de fazer no futuro. Esse equívoco não é ajudado pelos produtores de Hollywood que têm o hábito escolher frequentemente atores masculinos para o cockpit. Estou muito feliz por participar de uma iniciativa para incentivar mais raparigas como Hannah a considerar a carreira. Eu amo o meu trabalho e recomendo a qualquer um.”

No ano fiscal de 2018, a easyJet recrutará 460 novos pilotos para responder à procura recorde da companhia aérea pelo terceiro ano consecutivo, à medida que sua rede europeia continua a crescer. As oportunidades variam desde pilotos de cadetes em início de carreira até experientes co-pilotos e comandantes de outras companhias aéreas e militares. Para descobrir como se tornar um piloto da easyJet visite: http://becomeapilot.easyjet.com/.