eDreams: Lisboa é o destino preferido dos viajantes europeus em 2021

eDreams: Lisboa é o destino preferido dos viajantes europeus em 2021

A eDreams ODIGEO publicou recentemente o seu estudo anual “A Year in Travel by eDreams ODIGEO”, em que proporciona uma visão geral do ano que passou e deixa algumas previsões para 2021. Assim, analisando as reservas atuais para viagens a ocorrer entre 1 de janeiro e 31 de dezembro deste ano, a empresa conclui que Lisboa está no topo dos destinos com mais reservas para 2021. Seguem-se Istambul (Turquia), Fort de France (Martinica), Palma de Maiorca e Tenerife (Espanha). Além disso, os destinos de curta e média distância ainda predominam nas preferências.

O aparecimento da vacina contra a COVID-19 deverá alterar este panorama, permitindo aos viajantes aventurar-se para mais longe, adianta o estudo. De facto, desde o anúncio das vacinas da Pfizer e da Moderna, em novembro de 2020, os destinos mais pesquisados pelos europeus nas plataformas da eDreams ODIGEO são de longa distância, nomeadamente Dubai, Nova Iorque e Bangkok.

Tal como no verão de 2020, este ano as viagens com estadias entre 7-13 dias são as mais populares (32%), mas assiste-se a uma tendência cada vez maior para viagens com estadias ainda mais longas. Os europeus demonstram agora igual interesse por viagens com entre 14-20 dias (19%) e entre 3-4 dias (19%), algo que durante este ano não se verificou.

A eDreams conclui então que os viajantes europeus estão otimistas, mas ainda cautelosos em relação aos seus planos. As perspetivas são, no entanto, animadoras e é expectável que 2021 venha a ser um ano muito mais positivo no que toca a viajar e conhecer o mundo.

Viajar antes da pandemia e do confinamento
Numa análise ao período entre janeiro e março de 2020, a eDreams refere que os portugueses viajavam maioritariamente para o estrangeiro: os destinos mais procurados eram grandes cidades europeias como Paris, Londres, Barcelona, Madrid e Amesterdão. No início do ano, as estadias com duração de 3-4 dias eram as prediletas (46%), seguindo-se as “escapadinhas” curtas de apenas 2 dias (21%).

Para os viajantes do continente europeu, a cidade com mais procura nos primeiros meses do ano era Londres. Lisboa e Porto estavam também no Top 10 de destinos favoritos, em sexto e décimo lugar, respetivamente. Os europeus também davam primazia às estadias com duração de 3-4 dias (35%) e gastavam, em média, 215€ por pessoa em seus bilhetes de avião.

As mudanças trazidas pela pandemia
Com a chegada do surto de COVID-19, os hábitos e as opções foram completamente alterados – as restrições de movimento eram diferentes em cada país, a abertura das fronteiras não acontecia ao mesmo tempo em todos os locais e a situação mudava constantemente.

Entre abril e junho, os destinos mais pesquisados pelos portugueses nas ferramentas da eDreams ODIGEO eram Paris, São Paulo e Londres. No entanto, os locais para onde acabaram por viajar mais no Verão não correspondem inteiramente às suas pesquisas do confinamento – entre junho e setembro, os destinos de viagem mais populares para os portugueses foram Paris, Ponta Delgada e Funchal. Notou-se também uma clara predileção por cidades com grande tradição de emigração portuguesa, como Genebra, Luxemburgo, Londres ou Zurique: todos estavam ansiosos por rever familiares e amigos após tantas semanas.

No que toca à duração das viagens, aquelas com duração entre 7-13 dias passaram a ser as mais escolhidas (30%), mas ainda seguidas de perto pelas de 3-4 dias (30%); a nível europeu, esta tendência verificou-se da mesma forma. O destino mais procurado – tanto em termos de pesquisas como de viagens efetuadas – foi Palma de Maiorca, em Espanha.

Quando a Pfizer anunciou a sua vacina contra o COVID-19, a 9 de novembro, a eDreams ODIGEO analisou o efeito nas tendências de pesquisa – nesse mesmo dia as pesquisas dos portugueses sobre viagens aumentaram 13% em relação ao dia anterior, e na semana entre 9 e 15 de novembro as pesquisas aumentaram 6% em relação ao dia anterior.