eDreams ODIGEO aumenta receitas em 5% atingindo os 141,5 milhões de euros no primeiro trimestre do ano fiscal

eDreams ODIGEO aumenta receitas em 5% atingindo os 141,5 milhões de euros no primeiro trimestre do ano fiscal

A eDreams ODIGEO anunciou esta quinta-feira os resultados para o primeiro trimestre do ano fiscal de 2020, encerrado a 30 de junho de 2019. Refletindo a conclusão da  mudança no modelo de receitas, com alguns mercados ainda dentro dos primeiros 12 meses dessa mudança e o foco em atividades sustentáveis de alta qualidade, as reservas “caíram 1%, ao mesmo tempo que a Margem de Receitas aumentou 5%, superando a orientação relativa a receitas do 1.º trimestre com crescimento baixo, a um dígito, uma vez que obteve receitas superiores com menos reservas, num montante total de 141,5 milhões de euros”, lê-se nos dados divulgados pela eDreams ODIGEO. Por sua vez, o EBITDA Ajustado teve um “aumento de 8%, para 28,1 milhões de euros, no primeiro trimestre do exercício de 2020, em linha com a orientação”.

Quanto às iniciativas de diversificação de receitas, os dados indicam que estão a produzir resultados: “continuaram a crescer, com um crescimento de 25% em relação ao período homólogo, e superam agora as Receitas Clássicas de Clientes em 57%”. Como consequência prevista da mudança de modelo de receitas imposto pela empresa, o Rácio de Diversificação de Produtos e o Rácio de Diversificação de Receitas “aumentaram para 76% e 46% no primeiro trimestre, em comparação com 60% e 38% no primeiro trimestre do exercício anterior, crescendo, em apenas um ano, uns notáveis 16% e 8%, respetivamente”, refere o comunicado.

Em geral, a empresa de viagens online refere estar “muito satisfeita com o progresso atingido nas receitas e na diversificação de produtos, que continuam a crescer rapidamente. Estamos particularmente felizes com os pacotes dinâmicos e os produtos complementares, uma vez que as receitas aumentaram mais de 30% em ambas as categorias, em relação ao mesmo período do ano anterior”.

O Prime, o programa de subscrição líder do setor, continua a ser um êxito. O número de subscritores “aumentou para 325.000 e o programa funciona atualmente em quatro dos nossos maiores mercados”. Para além disso, as reservas a partir de dispositivos móveis “continuam a crescer e totalizam 40% das nossas reservas totais de voos no primeiro trimestre do ano fiscal de 2020, subindo 4 pontos percentuais relativamente ao primeiro trimestre do ano passado”, refere o comunicado.

A provisão extraordinária relativa ao novo plano de otimização operacional nos escritórios de Berlim e Milão tem impacto no desempenho do resultado financeiro. Este plano “irá permitir que a empresa reforce ainda mais as suas capacidades tecnológicas, de forma a oferecer uma experiência do cliente líder do setor, por meio de produtos e serviços melhorados”. Ao mesmo tempo, este plano “assegura que a empresa esteja devidamente estruturada e melhor posicionada para continuar a inovar e a oferecer aos clientes uma experiência de viagem incomparável”. Excluindo este efeito não recorrente, o Lucro Líquido Ajustado “cresceu fortemente em +58%, para 9 milhões de euros”. A eDreams ODIGEO acredita que este parâmetro “reflete mais eficazmente o real desempenho operacional em curso da empresa”.

A situação de caixa (líquida de descobertos) situou-se em 137,2 milhões de euros, com um “aumento de 10% face aos 124,9 milhões de euros do primeiro trimestre do ano fiscal de 2019”. O sólido desempenho de tesouraria foi impulsionado: pelo fluxo de caixa líquido das atividades operacionais, que melhorou em 35,1 milhões de euros, refletindo principalmente a menor saída de capital circulante; por uma redução no imposto sobre rendimentos pago; pelo aumento do EBITDA ajustado e elementos não monetários mais elevados; pelo montante para investimentos de 7,2 milhões de euros, em linha com o mesmo período do ano passado; e pelo montante utilizado no financiamento, no valor de 1,7 milhões de euros, também amplamente em linha com o mesmo período do ano passado.
Como resultado, a Taxa de Alavancagem Líquida diminuiu de 2,7x em junho de 2018 para 2,5x em 2019. No primeiro trimestre do exercício de 2020, a Taxa de Alavancagem Bruta manteve-se relativamente estável a 3,7x em junho de 2019 contra 3,8x em 2018, o que nos confere uma margem confortável face ao nosso rácio acordado.

Para Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, “atingimos um sólido conjunto de resultados no 1º Trimestre, em linha com a nossa orientação. Para além disso, a nossa diversificação de receitas está a compensar, sendo que cresceu 25% e supera agora em 57% as nossas Receitas Clássicas de Clientes. Paralelamente, o nosso programa de subscrição líder do setor está a provar ser um verdadeiro sucesso”.

Análise da atividade por áreas geográficas:

Os 6 principais mercados (França, Espanha, Itália, Alemanha, Reino Unido e países nórdicos) atingiram 108,3 milhões de euros de margem de receitas no primeiro trimestre, com um aumento de +0,3% face ao ano anterior e refletindo uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de +2%. Este desempenho está em linha com a orientação da empresa e foi impulsionado pelos investimentos feitos na alteração do modelo de receitas durante o ano fiscal de 2019 e o facto de alguns mercados se encontrarem ainda nos primeiros 12 meses dessa mudança. A diversificação de receitas impulsiona a expansão nos restantes mercados (referidos como “Resto dos Mercados Mundiais” ou “RoW”), onde a margem de receitas cresceu fortemente em +25% para 33,2 milhões de euros no primeiro trimestre, representando uma CAGR de +24%.

Previsão

A eDreams ODIGEO prevê que o exercício de 2020 (de abril de 2019 a março de 2020) “venha a ser um ano muito melhor do que o exercício de 2019, mas que ainda não venha a refletir todo o nosso potencial subjacente, uma vez que temos mercados importantes que operam com o novo modelo de receitas há menos de 12 meses.” A partir do segundo trimestre em diante, “esperamos crescimento nas Reservas, na Margem de Receitas e no EBITDA Ajustado, em linha com as nossas orientações para o ano inteiro. Haverá variações trimestrais, devido ao cronograma das mudanças que fizemos no último ano fiscal”, lê-se no mesmo comunicado.

Como resultado, os objetivos anuais, para o exercício de 2020 estabelecidos pela empresa são:

  • Aumento das Reservas de 4% a 7% face ao ano fiscal de 2019
  • Aumento da margem de receitas de 4% para 7% face ao ano fiscal de 2019
  • EBITDA Ajustado na faixa dos 130 a 134 milhões de euros