Escolas do Turismo de Portugal brilham na final do concurso “Doce Maravilha de Portugal”

Escolas do Turismo de Portugal brilham na final do concurso “Doce Maravilha de Portugal”

Categoria Advisor, Formação

Seis das sete receitas finalistas da final do concurso “Doce Maravilha de Portugal” são de escolas do Turismo de Portugal. A grande final realiza-se a 7 de setembro em Montemor-o-Velho mas para o projeto formativo do Turismo de Portugal é já uma grande vitória ver tantas receitas selecionadas.

De acordo com o presidente do Turismo de Portugal, Luis Araújo, “é com grande orgulho que assistimos a esta excelente prestação das equipas que fazem parte de um projeto de formação que todos os anos coloca no mercado mais de mil profissionais qualificados no setor do Turismo. A formação profissional é desde há muito uma das nossas maiores prioridades, pelo que aproveito para recordar que as candidaturas às 12 escolas da nossa rede estão abertas até ao próximo dia 15 de setembro”.

As seis receitas e respetivas escolas do Turismo de Portugal, presentes na final do concurso, são:

  • Arroz doce de Afife com sabores portugueses (Escola de Viana do Castelo)
  • Morgadio de cortiça e salicórnia (Escola do Algarve-Faro)
  • Bolo de banana com crumble de canela (Escola de Setúbal)
  • Abelha do Alentejo com as 7 Maravilhas (Escola de Portalegre)
  • Pastel de noz e laranja (Escola de Coimbra)
  • Mousse de maça verde (Escola do Douro-Lamego)

Uma das novidades das Escolas do Turismo de Portugal, para o próximo ano letivo, é a abolição das propinas para os estudantes que frequentam cursos de nível IV, que corresponde aos alunos que estão a cumprir a escolaridade obrigatória.

Será também reduzido em 50% o custo das inscrições e matrículas, tanto para o nível IV como para o nível V, criando condições para o reforço da atratividade dos cursos e consequentemente para o reforço da captação de talento para o setor.

O Turismo de Portugal aposta ainda na diferenciação positiva das escolas situadas nos territórios de baixa densidade, nomeadamente em Lamego, Portalegre e Vila Real de Santo António, através do financiamento de 50% das propinas dos Alunos dos Cursos de nível V.