“Está bem estabelecido na mente dos franceses que Portugal é um destino prioritário”

“Está bem estabelecido na mente dos franceses que Portugal é um destino prioritário”

Portugal é hoje um dos destinos favoritos dos franceses, encontrando-se atualmente no Top 5 de mercados prioritários para o turismo nacional. É desta forma que Jean Pierre Pinheiro, coordenador do Turismo de Portugal em Paris, caracteriza a empatia dos turistas franceses por Portugal, um mercado que “tem crescido a dois dígitos nestes últimos 10 anos”.

Por ocasião da IFTM Top Resa, em Paris, o responsável referiu, em declarações ao Ambitur.pt, que hoje em dia “está bem estabelecido na mente dos franceses que Portugal é um destino prioritário”. “Passámos de nono lugar dos destinos favoritos dos franceses para quarto lugar. Não há uma semana que passe em que não haja um artigo ou uma reportagem em que não se fale de Portugal”, sustenta.

Além disso, acrescenta, o sucesso do mercado francês em Portugal não se deve apenas ao terrorismo ou à chamada Primavera Árabe. “Alguns jornalistas têm a tendência a explicar que isto foi resultado da Primavera Árabe e de alguns atentados. Eu explico que isso não é verdade. Primeiro, porque há 10 anos que temos um crescimento a dois dígitos; segundo porque passamos de 200 voos para Portugal para 600 por semana entre 22 aeroportos franceses e Portugal; e, por fim, porque temos uma vontade e uma mobilização dos profissionais do setor. O sucesso não veio por acaso”, afirma.

“De facto, alguma margem está ligada ao que aconteceu com a Primavera Árabe, mas foi sobretudo no segmento de Sol e Mar, onde alguns operadores franceses que tinham grande volume de negócios tiveram que encontrar alternativas. Mas isso representa 10% do nosso volume de turistas franceses que são 2.5 milhões”, acrescenta.

Relativamente ao desafios que se impõem nos próximos anos, Jean Pierre Pinheiro considera que Portugal tem que lutar contra a sazonalidade do mercado francês, nomeadamente no segmento de grupos e MICE. Por outro lado, o responsável defende um reforço na posição do Algarve, que “não é um destino prioritário para os franceses” e manter esforços na Madeira, “que tem tido bons resultados nos últimos anos mas que está numa estagnação, ao contrário de Lisboa, Porto, Centro e Alentejo”.

Por fim, Jean Pierre Pinheiro realçou ainda o crescente interesse do trade francês em Portugal, em especial no setor hoteleiro, onde deu como exemplo o grupo AccorHotels que “ quer reforçar a sua presença em Portugal”, e os operadores franceses “que se querem instalar mais em Portugal”.

Ricardo Ramos Gonçalves, em Paris, com o apoio da Air France