Estada média na hotelaria nacional cresce pela primeira vez desde abril

Estada média na hotelaria nacional cresce pela primeira vez desde abril

Os dados do AHP Tourism Monitor respetivos a novembro de 2015, indicam que os principais indicadores da hotelaria voltaram a crescer por comparação com o período homólogo, com a surpresa do aumento da estada média de turistas que cresce, pela primeira vez, desde abril de 2015.

No mês de novembro, a taxa de ocupação por quarto subiu 1,74 p.p. em comparação com o período homólogo do ano anterior, atingindo os 52,15%. Na performance por categoria, a única que não registou aumento foi a de três estrelas, com uma variação de menos 1,98 p.p. do que em novembro de 2014. Os destinos turísticos com a taxa de ocupação quarto mais elevada foram Madeira (80,16%), Lisboa (64,22%) e Grande Porto (55,99%).

Já o preço médio por quarto ocupado subiu 6,23% (fixou-se em 61,94 euros) e o RevPar – preço médio por quarto disponível – aumentou 9,9% (fixou-se em 32,30 euros). Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram Lisboa (49,54 euros), Madeira (47,78 euros) e Grande Porto (33,61 euros). No que respeita à receita média por turista no hotel, os dados indicam que esta e fixou nos 98 euros (mais 7,69% do que em novembro de 2014) e a estada média de 1,81 dias, valor superior a 2,26% face ao verificado no período homólogo.

O AHP Tourism Monitor indica ainda que no acumulado de janeiro a novembro de 2015, a taxa de ocupação quarto foi de 67,24%, mais 2,68 p.p. do que no período homólogo do ano anterior. O preço médio por quarto ocupado foi de 75,52 euros no acumulado, mais 9,85% do que em 2014. O RevPar foi de 50,78 euros, mais 14,42% do que o ano transato e a receita média por turista no hotel por mês atingiu o montante de 106 euros, mais 6% do que no mesmo período de 2014.

Para Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, “a hotelaria nacional manteve o ritmo de crescimento evidenciado até novembro, o que nos faz crer que vamos fechar o ano de 2015 com melhores resultados na performance hoteleira do que 2014. Destaque neste mês de novembro para o crescimento da estada média (+2,26%), o que é muito interessante. Note-se que mesmo no verão a estada média dos hóspedes nos hotéis diminuiu perante 2014. Em novembro, um mês tradicionalmente menos bom para a hotelaria, registou-se comportamento inverso”. No entanto, alerta a responsável, “esta manifestação não foi suficiente para inverter a tendência: a duração da estada é o único indicador em queda no acumulado de janeiro a novembro. O que demonstra que temos de continuar a trabalhar para aumentar o tempo de estada dos turistas nos hotéis portugueses, que, em termos de média nacional, não chega às 2 noites”.