Eurocontrol: Testes e quarentenas obrigatórios provocaram paralisação da aviação europeia

Eurocontrol: Testes e quarentenas obrigatórios provocaram paralisação da aviação europeia

Os movimentos de aviões no espaço aéreo europeu estão a cair cada vez mais devido à forte quebra da procura como resultado da introdução de testes obrigatórios de PCR e, em muitos casos, de quarentenas obrigatórias.

Segundo o Eurocontrol, há descidas de 96% nas operações de algumas companhias aéreas, como é o caso da easyJet e da Ryanair, o que significa a paralisação total da aviação. A KLM anunciou já que nos próximos dias irá cancelar todos os voos de longo curso já que o governo holandês incluiu o pessoal da companhia aérea entre quem tem que submeter-se a testes. A companhia acredita que um resultado positivo pode trazer efeitos gravíssimos à sua operação pelo que prefere paralisar todos os voos.

Eamonn Brennan, diretor do Eurocontrol, afirma que “a Europa hoje em dia apenas tem voos de mercadorias, aviões privados e um serviço mínimo de voos point-to-point”. E adianta que “estamos no nível mais baixo da aviação desde abril do ano passado. Os testes PCR exigidos provocaram a paragem absoluta do sistema”.

O Eurocontrol, que tinha detetado uma queda de 62% nos últimos meses, indica que agora está a acontecer uma “segunda vaga” de redução de voos. “A má notícia é que na próxima semana informaremos sobre os dados de hoje e estes são muito negativos. Fevereiro vai ser um mês muito mau e não vemos nenhuma possibilidade de melhoria até depois da Semana Santa”.

No que diz respeito às companhias, o Eurocontrol dá conta de que easyJet, Ryanair e Wizz Air caíram 96%; a KLM 62%; Air France 67%; Pegasus e Turkish 48% e 56%.